Andreas Gebert/EFE
Andreas Gebert/EFE

Guardiola será julgado por apoiar família de repórter morto na Copa

Em coletiva, técnico usa camisa com os escritos 'Justiça para Topo'

Estadão Conteúdo

22 de abril de 2015 | 13h09

O técnico do Bayern de Munique, Pep Guardiola, pode ser multado pela Uefa por ter usado camiseta de uma campanha para que a morte de um jornalista argentino, ocorrida em acidente de carro durante a Copa do Mundo no Brasil, seja investigada e para que seus parentes recebem apoio legal.

Guardiola ostentou a camiseta durante a entrevista coletiva no dia que antecedeu o jogo de volta das quartas de final da Liga dos Campeões da Europa em que o Bayern massacrou o Porto por 6 a 1, se classificando às semifinais. Diante disso, a Uefa anunciou nesta quarta-feira que o seu comitê disciplinar vai julgar um "incidente de natureza não-esportiva" em 21 de maio.

A camisa tinha a inscrição "Justiça para Topo". O jornalista argentino Jorge Topo López morreu em um acidente de carro em julho de 2014, em São Paulo. Na época, as informações foram de que o táxi em que ele trafegava foi atingido por um carro que fugia de uma perseguição da Polícia Militar. O jornalista foi arremessado para fora do carro e morreu na hora.

Nas redes sociais, uma campanha pede apoio legal aos familiares do jornalista argentino. E Guardiola deu seu apoio ao movimento ao vestir a camiseta na última terça-feira. Porém, as regras da Uefa proíbem declarações julgadas pela entidade como "políticas, ofensivas ou provocativas". Por isso, o treinador do Bayern pode ser punido.

Além disso, a Uefa anunciou que o técnico do Porto, Julen Lopetegui, também será julgado pelo seu comitê disciplinar. O treinador foi expulso nos minutos finais da partida em que o Bayern avançou às semifinais da Liga dos Campeões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.