Guatemala vai jogar desfalcada

A Guatemala já é um adversário fraco. O que dizer, então, da Guatemala desfalcada de cinco titulares? Pois é esse o time que enfrenta a Seleção Brasileira nesta quarta-feira à noite sonhando com um empate - como em fevereiro de 98, no 1 a 1 na Copa Ouro, em Miami, única vez em que as duas seleções se enfrentaram.A delegação chegou com apenas 17 jogadores. Carlos Ruiz, que atua no Dallas, da liga norte-americana, não conseguiu visto a tempo e é um dos desfalques. Os outros são o lateral Rodríguez e o meia Ramirez, não liberados por seus clubes, também nos Estados Unidos, além dos atacantes Plata e Pezzarossi, contundidos. Plata, que no domingo, transformou-se no maior artilheiro da história da Guatemala, com 321 gols, é a ausência mais sentida.Para os guatemaltecos, o jogo vale como preparação de luxo para a partida contra o México, dia 4 de junho, pelas Eliminatórias do Mundial de 2006. Está em terceiro lugar no grupo único. "Será ótimo para observar novos jogadores. Temos intenção de deixar uma boa imagem junto aos brasileiros", disse o técnico Ramón Maradiaga.A Guatemala jogará com apenas um atacante, Sandoval. O meia Castillo terá a missão de ajudá-lo um pouco no ataque. Os outros nove jogadores estarão defendendo o gol de Miguel Klee. No domingo, Klee, goleiro do Coban, foi expulso da partida contra o Comunicaciones, por agredir o zagueiro Pivaral. O detalhe é que Pivaral joga no mesmo time de Klee.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.