Guerreiro diz que título é recompensa para torcida

Único jogador do Botafogo presente nas três derrotas para o Flamengo nas últimas finais do estadual, o volante Leandro Guerreiro encarou o título conquistado no domingo como uma recompensa à torcida e ao clube.

AE, Agência Estado

19 de abril de 2010 | 15h45

"É tudo que eu sonhava e almejava. Precisava recompensar tudo que o clube e a torcida fizeram por mim. Foram três anos sofrendo, sendo alvo de deboches e chacotas de tri-vice", comemorou o capitão da equipe. "Valeu a pena esperar, vai ver o destino estava escrito de que eu tinha de ser o capitão".

Para o jogador, o título coroa sua passagem pelo clube. "Desde que cheguei falei que não chegava ao Botafogo para ser um mero jogador, que queria ficar marcado na história do clube. Muitos reagiram com desconfiança. Já tenho quase 200 jogos no clube, faltava um título de expressão. Este título é um marco importante".

Apesar de comemorar a chance levantar a taça como capitão da equipe, Guerreiro exaltou a liderança de Lúcio Flávio e distribuiu os méritos com os demais companheiros.

"Não me considero o capitão, este posto é do Lúcio Flávio. Sou fechado, não gosto muito de falar. Ele tem o dom da palavra, de colocar o time para cima. Foi muito importante neste título, esteve presente conosco em todos os momentos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.