José Patrício/Estadão - 6-11-2012
José Patrício/Estadão - 6-11-2012

Guerrero diz que não foi contratado para ficar na reserva

Numa declaração que passou longe da arrogância, peruano diz que está fazendo de tudo para estar no time titular do Mundial

VÍTOR MARQUES, Agência Estado

12 de novembro de 2012 | 20h05

RIO - Paulo Guerrero virou titular às vésperas do Mundial. E não pretende sair mais do time. O atacante peruano, autor de um gol na vitória por 5 a 1 contra o Coritiba, disse que não foi contratado para ficar na reserva, ou, como ele disse, para ficar "sentado" no banco. "Vim aqui para ser titular", afirmou Guerrero. "Se um jogador não pensa assim, não pode jogar futebol."

Não foi uma frase dita com arrogância ou presunção de quem se considera um intocável. Guerrero disse apenas que esse é seu objetivo (no Corinthians, como em outros clubes que defendeu, como o Hamburgo). Deixou a decisão de jogar ou não nas mãos de Tite, mas disse que está fazendo tudo para estar entre os 11, tanto nesta reta final do Brasileiro como no Mundial de Clubes.

"Estou fazendo meu trabalho, demonstrando dentro de campo e nos treinamentos. Agora quem vai decidir [quem será titular] é o treinador. Sei que todos querem jogar, mas é assim no futebol."

Guerrero disse estar bem adaptado à maneira de jogar do Corinthians, mesmo tendo feito poucos jogos desde que foi contratado, depois da Libertadores. Ele atuou somente em 12 jogos e marcou quatro gols. Um dos motivos de se sentir em casa, segundo ele, deve-se ao fato de poder atuar como um "camisa nove", posição que mais gosta.

"Sempre joguei em todas as equipes de ''nove'', na Europa, na seleção peruana. Conheço bem, preciso ainda aperfeiçoar algumas coisas na equipe, mas estou em condição de jogar o Mundial."

Segundo Guerrero, a maneira como o Corinthians vem jogando, com marcação forte, sob pressão, é muito parecida com a que ele jogava na Alemanha, no Hamburgo. "No futebol moderno, todos têm de correr e marcar."

A tendência é que Guerrero seja mantido no time contra o Internacional. A novidade é que ele poderá jogar pela primeira vez ao lado de Emerson, que vai ficar à disposição de Tite e deve entrar no segundo tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.