Guerrero é absolvido por empurrão e se livra de gancho

Para STJD, caso é diferente do que aconteceu com Petros, que foi punido com seis meses de suspensão e será julgado novamente

O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2014 | 19h12

O atacante peruano Paolo Guerrero, do Corinthians, foi absolvido pelo STJD na noite desta segunda-feira. Ele havia sido denunciado por agredir o árbitro Leandro Bizzio Marinho no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Bragantino. No lance, o atacante deu uma trombada no juiz. 

Guerrero havia sido enquadrado no artigo 254-A e ele corria o risco de pegar uma suspensão de, no mínimo, 180 dias, como aconteceu com o meia Petros.  Segundo o STJD, porém, foram situações diferentes.

Na visão dos relatores do tribunal, Guerrero trombou com o árbitro por uma fatalidade. O atacante não mudou sua trajetória como fez Petros, na visão do STJD. Guerrero foi absolvido por unanimidade: 5 votos a 0. Petros, que está jogando graças a um efeito suspensivo, será julgado novamente nesta quinta-feira. 

Guerrero está fora do Brasil e foi desfalque do Corinthians no jogo contra o Criciúma, neste domingo. Ele está defendendo a seleção peruana. Assim como Lodeiro, que está com a seleção uruguaia., Guerrero não enfrenta o Atlético Mineiro, quinta-feira, no Itaquerão. 

O único retorno certo é o do atacante Luciano, que volta depois de cumprir suspensão. Gil e Elias, que estão nos EUA com a seleção brasileira, chegam ao País na quinta-feira pela manhã. O jogo contra o Galo será ás 19h30 e Mano Menezes afirmou que não sabe se os dois jogadores terão condição de ir a campo na quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.