Marcelo Sayão/EFE
Marcelo Sayão/EFE

Guerrero é flagrado em blitz da lei seca e está proibido de dirigir por um ano

Atacante do Flamengo tem contrato apenas até o começo do próximo mês de Agosto

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 13h04

Se decidir permanecer no futebol brasileiro, o atacante Paolo Guerrero deverá utilizar algum meio secundário para ir aos treinos. Isso porque o jogador do Flamengo, que está em fim de contrato com o clube carioca, foi flagrado na blitz da Lei Seca nesta semana e não poderá mais dirigir por um ano.

+ Flamengo visa retorno forte ao Brasileirão, mas aguarda solução sobre Guerrero

O peruano passou pelo comando da Polícia na noite da última terça-feira, na ria Mario Ribeiro, no bairro da Gávea, no Rio de Janeiro. Ao ser parado, ele se recusou a soprar o bafômetro e, ao ter seu documento solicitado, foi verificado que a sua carteira de habilitação estava vencida.

De acordo com a legislação nacional, Guerrero ficará um ano sem poder dirigir em todo o país. No entanto, o atacante, que já voltou aos treinos com o Flamengo após a sua participação na Copa do Mundo com a seleção peruana - que caiu na primeira fase -, tem contrato apenas até o próximo dia 10 de agosto.

Nesta temporada, o Flamengo tirou do rival Fluminense o centroavante Henrique Dourado. Ele foi o titular durante a temporada nos momentos em que Guerrero esteve ausente em virtude da sua suspensão por doping, flagrado em outubro de 2017. Além disso, a equipe rubro-negra contratou recentemente o colombiano Fernando Uribe, do Toluca-MEX, por três anos, também para suprir a venda de Felipe Vizeu para a Udinese no mês passado.

Mais conteúdo sobre:
futebol Flamengo Guerrero Lei Seca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.