Guerrero espera exames e desabafa: 'Era o que faltava'

Além de viver um jejum de gols, ele sofreu uma lesão no joelho contra o Comercial

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

27 de fevereiro de 2014 | 08h09

SÃO PAULO - "Era a última coisa que faltava." Este foi o desabafo do peruano Paolo Guerrero, atacante do Corinthians. Além de viver um jejum de gols, ele sofreu uma lesão no joelho direito na partida contra o Comercial, nesta quarta-feira, no Pacaembu, onde o time alvinegro venceu por 3 a 0, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista.

Nesta quinta-feira, Guerrero será submetido a exames médicos para avaliar o grau da lesão. Por ora, trata-se de um edema, segundo o médico Júlio Stancati. "Vamos torcer para ser só um trauma, o joelho já desinchou, é um edema leve." A suspeita era de lesão no menisco. "Não dá para falar agora sobre artroscopia", disse o médico nos vestiários do Pacaembu.

Guerrero sentiu a lesão ainda no primeiro tempo e foi substituído aos 40 minutos de jogo. Ele iniciou o tratamento ainda no Pacaembu. O temor do atacante é ter de enfrentar uma cirurgia. "Estou com muito medo, está doendo para andar, pode ser menisco, mas quero esperar o exame. Espero que não seja nada", afirmou.

Dentro do campo, a fase de Guerrero não era nada boa. Ele estava há oito rodadas sem marcar um gol. Agora são nove. O próximo jogo do Corinthians será quarta-feira, fora de casa, contra o Linense.

Por causa da lesão, Guerrero vai adiar o depoimento que ele daria nesta quinta-feira sobre a invasão no CT do Corinthians, ocorrida no início deste mês. Ele havia sido intimado a depor no DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). O Corinthians já confirmou que o depoimento será remarcado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.