Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Guerrero homenageia Farfán em celebração e vê início de nova era na seleção

Atacante veste camisa do companheiro de time que está internado após sofrer traumatismo craniano em treino

Leandro Silveira, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2018 | 15h02

A celebração dos jogadores peruanos após a vitória por 2 a 0 sobre a Austrália, nesta terça-feira, em Sochi, pela rodada final do Grupo C da Copa do Mundo, demonstrou que esse triunfo não foi comum, ainda que tenha efeito prático nulo, pois a equipe já estava eliminada do torneio na Rússia. Afinal, vários jogadores exibiram emoção ainda no gramado do Fisht Stadium, em Sochi, como o meia Cueva e o centroavante Guerrero.

+ França e Dinamarca avançam às oitavas após o primeiro 0 a 0 da Copa

+ Com gol de Guerrero, Peru consegue vitória honrosa sobre a Austrália

Guerrero precisou enfrentar uma batalha judicial para estar em campo na Copa do Mundo, pois havia sido suspenso por doping, revelado em exame realizado ainda durante as Eliminatórias Sul-Americanas, tendo conseguido uma vitória parcial nos tribunais ao obter efeito suspensivo da sua punição.

Na Rússia, após passar em branco nas derrotas para Dinamarca e França, resultados que eliminaram o Peru da Copa do Mundo com uma rodada de antecedência, Guerrero brilhou no confronto com a Austrália. Ele deu o passe para o primeiro gol do jogo, de Carrillo, e ainda marcou o seu, definindo o triunfo por 2 a 0.

Após o jogo, vestiu uma camisa de Jefferson Farfán, atacante peruano que sofreu traumatismo cranioencefálico durante treinamento e não pôde participar da partida de despedida do Peru da Copa. O gesto também pode ser visto como uma retribuição, pois Farfán fez o mesmo quando a seleção de classificou ao Mundial, exibindo uma camisa com o nome de Guerrero, que estava afastado por doping.

"Dedico a vitória para nossas famílias e para Jefferson, meu irmão. Dedicamos a você, que se recupere logo", declarou o centroavante, que agora soma 36 gols marcados pela seleção peruana e admitiu que não esperava a eliminação já na fase de grupos.

 

Guerrero também apontou a participação na Copa como o início de uma nova era para a seleção do Peru. "Quero agradecer ao povo peruano por todo apoio e carinho, eles mereciam mais do que isto. Mas isso não acabou. Estamos eliminados, mas foi um começo para a seleção. Estou certo que temos muito a dar", afirmou.

Além disso, Guerrero consolou Cueva, que chorou no campo do Fisht Stadium. O jogador do São Paulo até deu o passe para o gol do centroavante, mas acaba a Copa do Mundo marcado pelo pênalti desperdiçado na estreia peruana, a derrota por 1 a 0 para a Dinamarca, sendo que naquele momento o placar estava empatado em 0 a 0. O gol poderia ter mudado o destino do país na Rússia.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.