José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Guerrero justifica pedida: 'Pagaram muito a quem não jogou'

Atacante peruano estaria pedindo cerca de R$ 18 milhões de luvas e um aumento salarial para permanecer no clube paulista

Estadão Conteúdo

29 de janeiro de 2015 | 13h21

Um dia depois de dizer a uma rádio espanhola que desejava voltar à Europa, o atacante Paolo Guerrero voltou atrás e, nesta quinta-feira, garantiu que seu desejo é permanecer no Corinthians em 2015. O peruano protagoniza uma longa novela com a diretoria do time paulista, que se estende desde o ano passado, e ainda negocia os termos da prorrogação do vínculo, que termina em junho.

"Minha intenção, quero deixar bem claro, é ficar no Corinthians, quero ficar no Corinthians, mas vamos ver se o Corinthians quer ficar comigo", declarou em entrevista à TV Bandeirantes. "Quero renovar meu contrato, mas, como eu disse para a imprensa espanhola, como não se resolve nada aqui, eu preciso arrumar um lugar para jogar depois de julho, não posso ficar parado. Tenho minha família para cuidar."

Guerrero surpreendeu ao dizer à Rádio Cadena Cope, na quarta, que gostaria de voltar à Alemanha, onde já atuou pelo Hamburgo e pelo Bayern de Munique. "Minha intenção era voltar (à Europa) depois do Mundial de Clubes. A ideia inicial era vir ao Brasil para ganhar o Mundial e voltar para a Europa. Mas não foi possível, porque o Corinthians fechou a porta a todo mundo", chegou a dizer o atacante.

Nesta quinta, no entanto, ele se explicou e disse que só voltaria à Europa se o Corinthians não aceitasse o pedido feito por ele para renovar. Guerrero estaria pedindo cerca de 7 milhões de dólares (cerca de R$ 18 milhões) de luvas para assinar um novo contrato, além de um aumento salarial, valor considerado muito alto pela diretoria corintiana, que atravessa crise econômica.

"Eu vou ser claro. O que estou pedindo está dentro das possibilidades do Corinthians. Não quero falar de outros jogadores que chegaram e, infelizmente, não jogaram, e o Corinthians pagou um monte de dinheiro por eles. Posso garantir que a minha pedida é baseada nas possibilidades do Corinthians", afirmou.

A declaração do peruano é uma clara crítica à diretoria e pode ser considerada uma alfinetada no atacante Alexandre Pato. O jogador desembarcou no Corinthians como grande nome para 2013. Foram gastos 15 milhões de euros na contratação, mas ele nunca justificou a quantia e, sem espaço, foi negociado com o São Paulo. Ainda assim, o clube do Parque São Jorge segue pagando parte de seu salário.

Com o impasse sobre a renovação de Guerrero, o Corinthians está de olho no mercado em busca de um outro atacante, e Vágner Love seria a bola da vez. O peruano disse não se importar com uma possível nova concorrência. "Para mim não tem problema, o jogador que vier vai ajudar muito o Corinthians", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGuerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.