Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Guerrero nega que tenha sido agredido na invasão ao CT

Centroavante contradiz presidente Mário Gobbi, que afirmou que peruano teria sido esganado

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2014 | 09h37

SÃO PAULO - Após a vitória por 3 a 2 do Corinthians contra o Rio Claro pelo Campeonato Paulista, o atacante Paolo Guerrero quebrou o silêncio e falou sobre a invasão ao CT.  Ele fez uma revelação e negou que tenha sido agredido por algum torcedor, como havia dito o presidente do clube Mário Gobbi.

"Acho que foi um mal entendido, eu não assisto muito televisão, não sei o que o presidente falou, mas acho que houve uma confusão. Nem tocaram em mim.Eu encontrei os torcedores, estava indo para o hotel, mas quero esquecer isso, perguntem para mim sobre o jogo."

No dia seguinte a invasão, que ocorreu no dia 1º de fevereiro, Gobbi havia dito que Guerrero tinha sido "esganado" por um grupo de torcedores. "Os jogadores não tinham condição de entrar em campo, o principal deles era o Paolo, que foi esganado no seu pescoço", disse Gobbi antes da partida contra a Ponte Preta, no dia 2 de fevereiro.

Por conta da invasão, Guerrero terá de prestar depoimento à polícia na tarde desta segunda-feira. "Lógico que eu não iria (prestar depoimento), mas a diretoria me pediu, querem que eu vá lá."

Guerrero também negou que a invasão ao CT do Corinthians tenha influenciado no seu rendimento dentro de campo, apesar de ele viver uma má fase. Ele só marcou um gol no Campeonato Paulista, no dia 22 de janeiro, na segunda rodada, na vitória contra o Paulista.

"Não tem nada a ver, todo centroavante passa por uma fase ruim, e eu estou passando por uma, por isso não acredito nisso. Estou chateado, mas o mais importante é que ganhamos, isso é o mais importante."

 O técnico Mano Menezes deu apoio a Guerrero após mais um jogo em que o peruano perdeu gols incríveis, como aconteceu na noite deste sábado na vitória por 3 a 2 contra o Rio Claro no Pacaembu. "São coisas do futebol, o futebol é assim, tem seus caprichos, às vezes você faz tudo certo, faz a movimentação certa, mas quando vai empurrar a bola, ela não entra."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.