Maxim Shemetov/Reuters
Maxim Shemetov/Reuters

Guerrero volta ao Peru e promete lutar por inocência: 'Cortaram minhas asas'

Atacante do Internacional retorna ao país e se mostra determinado a provar sua inocência nesta acusação de doping

Estadao Conteudo

24 Agosto 2018 | 15h38

Novamente suspenso e impedido de jogar futebol, o atacante Paolo Guerrero desembarcou nesta sexta-feira em Lima, no Peru. Um dia depois de ver a Justiça suíça derrubar o efeito suspensivo que o permitia atuar desde a Copa do Mundo, o atacante do Internacional voltou ao país natal e se mostrou determinado a provar sua inocência nesta acusação de doping.

"Estava me preparando para estar em campo domingo, contra o Palmeiras, e recebi uma notícia assim outra vez. É igual. Mais uma vez, me cortaram as asas. Mas continuo lutando por minha inocência. Às vezes, parece algo estranho, mas trato de tomar como circunstância da vida e seguir lutando", declarou à TV local Canal N.

Contratado pelo Inter após a Copa da Rússia, Guerrero vinha recuperando a melhor forma física e estaria à disposição do técnico Odair Hellmann para encarar o Palmeiras em casa, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro. A três dias da partida, no entanto, a Justiça suíça derrubou um efeito suspensivo que o Tribunal Federal do país europeu havia concedido à sua suspensão original.

Guerrero admitiu se sentir "mais sereno" desta vez do que quando foi punido inicialmente, no fim do ano passado. Ele foi bastante paciente para atender os torcedores e tirou foto com cada um que o cercou na saída do aeroporto. "Os próximos passos são com meus advogados. Tenho que resolver algumas coisas aqui no Peru e depois vou ver o que acontece", disse.

Guerrero foi suspenso por um ano por uso de benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, no fim de 2017. Depois de um recurso na própria Fifa, a pena caiu para seis meses, mas a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) aceitou um novo recurso, desta vez da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), e ampliou a punição para 14 meses.

Em busca da oportunidade de disputar a Copa, Guerrero foi até a última instância e às vésperas do torneio conseguiu um efeito suspensivo junto ao tribunal da Suíça. Mas, agora, a Justiça do próprio país derrubou a liminar e reativou a suspensão do atacante, que, desta forma, está impedido de atuar pelos próximos oito meses.

De acordo com o sistema legal da Suíça, não cabem mais recursos à decisão, mas Guerrero segue confiante em provar sua inocência e abreviar o período longe dos gramados. "Que não sejam oito meses. Estou lutando pelo melhor. Não posso aceitar este castigo que não é justo. Então, sigo lutando porque não posso aceitar que siga castigado por oito meses."

 

 
Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
futebol Guerrero doping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.