Guilherme não define o seu futuro

Guilherme e a diretoria do Atlético-MG não chegaram a um acordo hoje sobre a permanência ou não do jogador no clube. O presidente do Conselho Deliberativo do Galo, Alexandre Kalil, se recusou a dar detalhes sobre a conversa, mas disse que uma nova reunião, que deverá definir o futuro do atleta, será realizada esta semana, provavelmente quarta-feira. O artilheiro da equipe mineira nos últimos anos, no entanto, deverá mesmo acertar sua transferência para outro clube e o destino mais provável é o Parque São Jorge. Por conta de uma decisão dos dirigentes alvinegros, para continuar no Atlético, o atacante deverá se submeter a uma redução salarial. Na nova política salarial atleticana, nenhum jogador poderá ganhar mais de R$ 50 mil. Guilherme foi indicado ao Corinthians por empresários e tem o aval do técnico Carlos Alberto Parreira, com quem trabalhou no próprio Atlético. As especulações são de que ele teria uma proposta superior ao teto estipulado pelo clube mineiro. Hoje, Guilherme negou que já tivesse acertado as bases contratuais com o clube paulista. O zagueiro Batata, que tem contratado até o final do ano com o Corinthians e está acertando sua transferência para o Atlético pode ser envolvido nas negociações. Um dos entraves para a permanência de Guilherme em Belo Horizonte seria o fato de ele ter recebido propostas de outros clubes. Além da equipe paulista, o atacante disse que recebeu uma proposta do futebol francês. Refén - Já Marques, que também terá de se submeter a uma redução salarial para permanecer no Galo, deverá ter seu futuro definido na quinta-feira. O jogador, no entanto, segundo seu procurador, Aurélio Dias, está praticamente confirmado na equipe atleticana que participará do Campeonato Brasileiro. Dias disse que o problema de Marques não é financeiro e sim de "foro íntimo". "O Marques achava que o Atlético não queria continuar com ele", disse o procurador. "O Marques é refém da torcida do Atlético", concluiu. Enquanto o futuro de Marques e Guilherme não é definido, o técnico Geninho ganhou para o ataque o reforço do atacante Kim, que chegou a um acordo com a diretoria alvinegra e acertou seu retorno ao clube. O jogador havia obtido na Justiça trabalhista de Belo Horizonte o rompimento de seu vínculo contratual, mas voltou atrás e decidiu se reintegrar ao grupo atleticano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.