Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Gustagol e Arboleda travam disputa no jogo aéreo

Jogadores são as apostas de Corinthians e São Paulo nos lances pelo alto na decisão do Paulistão

Daniel Batista e Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2019 | 04h30

Pelo estilo de jogo de Corinthians e São Paulo, são grandes as chances de a final do Campeonato Paulista ser decidida em jogadas pelo alto neste dominngo, em Itaquera. Do lado do Corinthians, o técnico Fábio Carille aposta as suas fichas em Gustagol, 1,86 m de altura. No São Paulo, Cuca confia no jogo aéreo do equatoriano Arboleda, 1,87 m.

Gustagol é o quarto jogador de linha mais alto do elenco alvinegro, atrás somente de Pedro Henrique (1,87 m), Renê Junior (1,89 m) e Richard (1,91 m). Além da estatura, o jogador se destaca pela boa impulsão.

Do lado do São Paulo, somente dois atletas são mais altos do que Arboleda: Jucilei (1,88 m) e Gonzalo Carneiro (1,94 m). O equatoriano ainda tem como diferencial o ótimo senso de posicionamento na área.

Artilheiro do Corinthians na temporada com oito gols, Gustagol tentará acabar com um incômodo jejum na decisão do Estadual. Após início de ano arrasador, o atacante não balança as redes há seis partidas, desde o dia 24 de março, no jogo de ida das quartas de final diante da Ferroviária. A final do Paulista, portanto, pode acabar se transformando em um momento de afirmação para o atacante.

A queda de rendimento de Gustagol nas últimas partidas reflete o momento ruim do Corinthians. Sem marcar um único gol há quatro jogos, o time chega à última rodada do Campeonato Paulista pressionado.

Até por causa da postura defensiva da equipe, Gustagol tem contribuído bastante na marcação nos últimos jogos. No ataque, o jogador tem sido pouquíssimo acionado.

Na última quarta-feira, Gustagol foi poupado pelo técnico Fábio Carille e não atuou na derrota por 1 a 0 para a Chapecoense, pela Copa do Brasil. O treinador revelou que cogitou a possibilidade de colocar Gustagol no segundo tempo, mas desistiu para não expor o time. Agora, Carille terá o atacante 100% fisicamente para fazer a diferença no clássico em Itaquera.

Entre os oito gols do atacante no ano (quatro no Paulista, três na Copa do Brasil e um na Copa Sul-Americana), um foi marcado diante do São Paulo, na vitória por 2 a 1 no primeiro turno do Estadual. O centroavante, inclusive, disse depois daquele jogo que a comissão técnica do Corinthians o havia alertado que o goleiro do São Paulo, Tiago Volpi, costumava sair “um pouco estabanado” do gol. Naquela partida, o goleiro falhou justamente numa bola pelo alto e Gustagol, atento, soube aproveitar a chance para desempatar a partida.

Já Arboleda é a personificação da nova fase tricolor. O equatoriano chegou a amargar o banco nos tempos de Diego Aguirre, mas hoje é titular absoluto e fundamental para o esquema de Cuca e Vagner Mancini.

No domingo passado, por exemplo, deixou o gramado do Morumbi como um dos melhores em campo e uma de suas principais missões foi justamente grudar em Gustagol.

E assim como Gustagol tem ajudado o Corinthians na defesa, Arboleda também auxilia o São Paulo no ataque, principalmente nas bolas alçadas para a área. Ele já marcou cinco gols pelo clube, sendo um neste ano, contra o Bragantino, na primeira fase do Paulista.

As boas exibições – que fazem a torcida apelidá-lo de “Arbolenda” – já começam a despertar a atenção dos clubes do exterior. No ano passado, o São Paulo acertou a renovação de contrato do jogador e o novo vínculo vai até 2022. Foi uma forma encontrada para se proteger das ofertas europeias.

O próprio zagueiro revelou que existe a possibilidade de ser negociado no meio do ano e que havia interesse de clubes da Itália, Espanha e Alemanha, mas, por enquanto, tudo não passa de especulação. O fato é que se conquistar o Paulistão, a valorização será ainda maior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.