Gustavo Henrique festeja retorno ao Santos e não se importa em ficar na reserva

Zagueiro estava parado há um ano após romper o ligamento do joelho esquerdo e irá para o banco contra o Grêmio

Estadão Conteúdo

27 de julho de 2017 | 16h46

O zagueiro Gustavo Henrique, do Santos, garantiu em entrevista coletiva nesta quinta-feira que não vê problemas em ficar na reserva após um afastamento de quase um ano devido à uma grave lesão no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, ocorrida em setembro de 2016. Atualmente, David Braz e Lucas Veríssimo são titulares absolutos na zaga santista, mas isso não incomoda Gustavo, que destacou a amizade que possui com os companheiros de posição.

"Agora quero voltar bem. Minha cabeça é essa. Quero voltar bem, me preparar bem fisicamente. Acho que mentalmente estou muito preparado, com muita vontade de voltar. Fico feliz pelos nossos companheiros terem esse reconhecimento. Venho para agregar, não para causar nenhuma intriga. Pelo contrário. Somos amigos, estou torcendo muito por eles. Se for para jogar, eu vou ajudar. Caso contrário, vou ficar apoiando de fora", afirmou Gustavo.

O jogador, de 24 anos, que demonstrou felicidade e também ansiedade para voltar aos gramados, revelou que passou por períodos difíceis durante a longa recuperação, mas a experiência anterior - ele havia sofrido outra grave lesão no joelho direito anteriormente - deu-lhe confiança para superar mais essa dificuldade.

"Ajudou muito. Como já tinha passado por uma, teve alguns momentos que eu sabia que a dor era normal. Coisa que lá atrás eu não sabia. Agora, como já passei por uma, sei que esse processo é natural - de medo, de dividir uma bola mais forte -, mas com os treinamentos, a gente vai se soltando aos poucos", destacou o zagueiro.

O defensor deverá ficar no banco de reservas na partida contra o Grêmio, neste domingo, às 19 horas, em Porto Alegre, pela 17.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O confronto contra os gaúchos é visto por Gustavo Henrique como uma prévia de um possível encontro nas próximas fases da Copa Libertadores.

"O Grêmio é o time que está jogando mais bonito, mais qualificado. O Corinthians está sendo mais eficiente. O Grêmio tem uma qualidade de passe muito boa. Então, a gente tem que estudar bastante eles. Vai ser bom pra gente conhecer mais o time deles. Se caso a gente se enfrentar lá na frente, na Libertadores e a gente possa estar mais preparado", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.