Guto Ferreira isenta reservas de culpa pela perda de invencibilidade da Ponte

A Ponte Preta perdeu a invencibilidade no Campeonato Brasileiro, nesta quarta-feira à noite, no Maracanã, ao cair diante do Fluminense, por 2 a 0, no fechamento da oitava rodada. Mas o técnico Guto Ferreira evitou criticar seus jogadores, muito menos o zagueiro Renato Chaves e o atacante Borges, que substituíram, respectivamente, os suspensos Pablo e Biro Biro.

Estadão Conteúdo

25 de junho de 2015 | 09h17

"Nós jogamos sem o Biro Biro e sem o Pablo, mas os jogadores que entraram deram o sangue, correram muito. Infelizmente o Fluminense também soube atuar de forma inteligente, aproveitou as chances e a bola entrou. Todos que entraram para ajudar, seja do início ou vindo do banco, deram o melhor de si", destacou o treinador.

Com a primeira derrota, a Ponte Preta despencou para a oitava colocação, com 13 pontos, e agora busca uma reação no próximo domingo, quando retorna ao Moisés Lucarelli, em Campinas, para receber o Atlético-MG, às 16 horas, pela nona rodada do Brasileirão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPonte Preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.