Andy Rain|EFE
Andy Rain|EFE

Hiddink diz que recusou proposta do Leicester antes da temporada

Técnico do Chelsea afirma que foi convidado pelo campeão inglês

Estadão Conteúdo

04 de maio de 2016 | 11h21

O técnico Guus Hiddink ajudou o Leicester a conquistar o inesperado título do Campeonato Inglês na última segunda-feira, quando seu Chelsea arrancou o empate diante do Tottenham que garantiu matematicamente a conquista ao clube do país. Mas o caminho deles poderia ter se cruzado bem antes, se o treinador holandês tivesse aceitado a proposta da diretoria do Leicester antes do início da temporada.

Foi isto o que ele revelou nesta quarta-feira. Em entrevista ao jornal holandês De Telegraaf, Hiddink afirmou que foi procurado pelo Leicester para comandar o time no Campeonato Inglês, antes de a diretoria ir atrás do italiano Claudio Ranieri, que acabou conduzindo a equipe a uma das maiores zebras da história do futebol.

"É verdade que o Leicester tentou me contratar para esta temporada. Isto certamente aconteceu aqui. Mas eu havia me determinado um período de descanso e só queria não fazer nada", explicou.

Hiddink havia deixado a seleção holandesa em junho e após seis meses de inatividade, assumiu em dezembro o comando do Chelsea até o fim desta temporada. Se não reergueu o clube londrino à briga por títulos, ao menos amenizou a crise que se instalou por lá na reta final da passagem de José Mourinho e que chegou a deixar a equipe na zona de rebaixamento do Inglês.

"O clube estava em um espiral de queda e havia pânico. Era minha tarefa trazer paz ao elenco e fui bem sucedido. Se nós continuássemos a perder, mesmo em um clube como o Chelsea, poderia acontecer algo que ninguém esperava. Assim como ninguém esperava que um clube como o Leicester fosse campeão", avaliou.

Sem grandes aspirações, Hiddink se prepara para deixar o Chelsea após as últimas duas rodadas do Campeonato Inglês. O próprio treinador admitiu que, após impedir que o rival Tottenham seguisse na disputa do título com o Leicester, não lhe restam objetivos diante de Sunderland e do próprio Leicester. "Não tenho mais nada para fazer", resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.