Há 5 anos, o Corinthians ganhava o mundo

Esta sexta-feira faz cinco anos que o Corinthians escreveu seu nome na história do futebol internacional. Venceu o Vasco numa decisão por pênaltis (4 a 3, após empate em 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação), no Maracanã, e se sagrou o primeiro - e único - campeão mundial reconhecido pela Fifa.Esse título, porém, não garante ao clube presença na segunda edição do torneio, que acontecerá em dezembro, no Japão, com seis times: os campeões dos seis continentes. Na primeira rodada, se enfrentam os melhores de Ásia, África, Oceania e Concacaf (que engloba Américas do Norte, Central e Caribe). Os dois vencedores vão para as semifinais com os melhores da Europa e da América do Sul, representado pelo campeão da Libertadores, torneio que o Corinthians não vai disputar.E pior: vai ver seus maiores rivais (Palmeiras, Santos e São Paulo) lutando pelo título. Dos quatro times grandes de São Paulo, o Corinthians é o único que nunca foi campeão da Libertadores.O time no Mundial de 2000 foi comandado por Oswaldo de Oliveira, hoje no Santos. Na final contra o Vasco, jogaram Dida, Índio, Adílson, Fábio Luciano e Kléber; Freddy Rincón, Vampeta (depois Gilmar Fubá), Marcelinho Carioca, Ricardinho (depois Edu); Edílson (depois Fernando Baiano) e Luizão. Uma curiosidade: do time titular, só o lateral Índio não teve passagem pela Seleção Brasileira, além é claro do volante Rincón, titular por muito tempo da Seleção da Colômbia.O destaque corintiano no Mundial foi o atacante Edílson, escolhido pela Fifa como o melhor do torneio. Antes de chegar à decisão contra o Vasco, o Corinthians passou na primeira fase por Raja Casablanca (2 a 0) e Al Nasser (4 a 3), além de empatar com o Real Madrid (2 a 2).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.