Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Há dois meses sem marcar, Borja vira terceira opção do ataque do Palmeiras

Colombiano fica fora da lista de relacionados para estreia no Brasileirão e não joga desde 23 de março

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

29 de abril de 2019 | 11h38
Atualizado 05 de agosto de 2019 | 20h55

O atacante colombiano Miguel Borja, do Palmeiras, virou a terceira opção entre os centroavantes do elenco. O jogador não foi relacionado para a partida do domingo, vitória por 4 a 0 sobre o Fortaleza, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro, e não foi utilizado também pelo técnico Luiz Felipe Scolari nos últimos sete compromissos da equipe.

As duas últimas participações de Borja pelo Palmeiras duraram somente 45 minutos. Na mais recente delas, em 23 de março, o colombiano deixou o campo no intervalo. Foi no confronto de ida das quartas de final do Campeonato Paulista, contra o Novorizontino. Na participação anterior, em 16 de março, o atacante também só atuou no primeiro tempo diante do São Paulo e teve a atuação criticada pelo treinador.

A última vez em que Borja marcou um gol pela equipe foi há dois meses. No fim de fevereiro, o Palmeiras bateu o Ituano por 3 a 2, pelo Campeonato Paulista ainda, e o atacante anotou uma vez. Depois disso, ele foi titular em outras quatro partidas e teve participação de destaque no jogo contra o Junior Barranquilla, pela Copa Libertadores, quando deu uma assistência para o gol de Marcos Rocha.

No domingo, o Palmeiras levou ao jogo contra o Fortaleza, no Allianz Parque, Deyverson como titular e Arthur Cabral como opção para o banco de reservas. Em entrevista antes da partida ao canal TNT, Felipão explicou que pela limitação na quantidade de suplentes e por já contar com dois centroavantes no grupo, optou por deixar Borja fora da lista de relacionados.

TRABALHO

Enquanto a equipe jogava contra o Fortaleza, o atacante publicou foto nas redes sociais em que aparece em uma academia. Borja chegou ao clube em fevereiro de 2017, após negociação de R$ 33 milhões, e curiosamente está a uma partida de atingir a marca de 100 jogos pelo clube. Nas 99 participações, o atacante marcou 33 gols e foi artilheiro ano passado do Campeonato Paulista e Libertadores. Não está descartada sua saída do Palmeiras.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.