Gilvan de Souza|Divulgação
Gilvan de Souza|Divulgação

Há quase 400 minutos sem gols, Muricy admite que Fla sente falta de treinos

Treinador vê seus atacantes ansiosos na hora de finalizar

Estadão Conteúdo

27 de março de 2016 | 11h03

Se um time está há quase 400 minutos sem marcar gols - mais do que isso se os acréscimos também entrarem na conta -, de quem é a culpa? Dos atacantes, que não mandam a bola para dentro, mas também do treinador. Após mais uma atuação ruim do Flamengo, que perdeu por 1 a 0 para o Volta Redonda, o técnico Muricy Ramalho admitiu que o time tem sentido falta de treinos de finalização.

"É uma série de coisas. Ansiedade, é claro, porque a bola não entra. Falta treinamento, não treinamos finalização, não estamos conseguindo treinar", reconheceu o técnico. Mas, para ele, o principal motivo da falta de gols é a ansiedade mesmo. "As jogadas são criadas pelo lado do campo, que é o nosso forte, mas na hora da conclusão não estamos bem. Tivemos uma posse de bola bem alta, mas está faltando tranquilidade para definir. Isso é questão de tempo. Quando o time cria muito, uma hora começa a fazer."

Com Guerrero na seleção peruana, Muricy escalou o garoto Felipe Vizeu como titular. O garoto, destaque no título da Copa São Paulo de Futebol Júnior, perdeu um gol claro. A pressão sobre ele já começou e o treinador deixou claro que não gosta dessa situação.

"Futebol é impressionante. Quando põe o menino, é porque põe. Quando não põe, é porque não põe. Estou no futebol há muito tempo, e isso não me importa. Sei o que tenho de fazer. Hoje (sábado) ele não foi tão bem porque jogou isolado, mas se você tira o moleque num jogo desse, mata o moleque, porque coloca toda a responsabilidade em cima dele. Sei a hora de por e a de tirar, e não é hora de tirar", garantiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.