Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Haddad promete novos incentivos ao Itaquerão até junho

Prefeito confirma emissão da segunda remessa dos CIDs para estádio de abertura da Copa 2014

Almir Leite , Agência Estado

11 de abril de 2013 | 12h09

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, informou nesta quinta-feira, durante visita ao Itaquerão, que a emissão da segunda remessa de Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs) para a obra do estádio de abertura da Copa do Mundo de 2014 será feita até o mês de junho. Ele não revelou o valor, mas a reportagem apurou que será de R$ 68 milhões. Ele estava acompanhado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo e do governador Geraldo Alckmin.

Antes de observar o andamento das obras da arena corintiana, que atingiu 70% de conclusão e tem previsão de entrega para dezembro, Alckmin deu início às obtra das alças de acesso da Nova Radial à Avenida Jacu-Pêssego, no entorno do estádio.

Haddad fez o anúncio logo após confirmar que já foi feita a liberação dos R$ 156 milhões da primeira remessa de CIDs - no total, a Prefeitura vai emitir R$ 420 milhões em certificados. O prefeito acredita que essa liberação vai ajudar no desembaraço do empréstimo dos R$ 400 milhões do BNDES. O dinheiro ainda não saiu porque o Banco do Brasil, repassador do dinheiro, reluta em aceitar as garantias apresentadas pela Odebrecht. O Corinthians busca outros bancos como alternativa - conversa com Caixa Econômica Federal e Bradesco, por exemplo.

De acordo com o prefeito, os CIDs serviriam como um reforço nas garantias oferecidas pela Odebrecht. "Nós conseguimos acelerar o passo e eu acredito que o problema do incentivo por parte da Prefeitura está equacionado. No que diz respeito aos R$ 420 milhões eu não vejo nenhuma dificuldade'', disse Haddad. "Em relação aos BNDES, eu penso até que a emissão dos CIDs reforça as garantias do empréstimo.''

Aldo Rebelo afirmou que a liberação do empréstimo do BNDES "está marchando para um desfecho favorável". "O estádio do Corinthians será com certeza palco de abertura da Copa", prometeu. Ele também descartou qualquer paralisação da obra.

Outro que mostrou otimismo foi o ex-presidente do Corinthians e atual responsável pela obra do estádio, Andrés Sanchez. Ele garantiu que no último mês as negociações para a liberação do empréstimo do BNDES evoluíram em cerca de 60% e que acredita que nas próximas semanas tudo estará resolvido. "Estamos negociando com vários bancos e tudo caminha para um bom final."

ENTORNO - Alckmin informou que o investimento nas obras de acesso que vão ligar a Nova Radial com a Jacu Pêssego é de R$ 61,4 milhões.  "São duas viadutos, melhorando muito o acesso. E a Prefeitura nos cedeu as áreas fazendo as desapropriações. Tivemos um desconto de 21%, de R$ 16 milhões.'' O governador disse que mais R$ 257 milhões serão utilizados em outras obras no entorno do Itaquerão e que todas as intervenções serão concluídas até março do ano que vem.

Haddad também falou de números. Além dos R$ 420 milhões em CIDs, disse que a Prefeitura colaborou com pouco mais de R$ 100 milhões para que o Itaquerão seja erguido, pois este é o valor do terreno da arena. "Estamos falando de mais de R$ 500 milhões de investimento da Prefeitura no estádio, mais as desapropriações que estão sendo feitas no entorno, para viabilizar um acesso mais adequado  para a população.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.