Reprodução
Reprodução

Havan anuncia patrocínio à transmissão da Copa América no SBT; emissora defende torneio

Dono da empresa é ligado ao presidente Jair Bolsonaro; torneio começa no domingo

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2021 | 22h33
Atualizado 11 de junho de 2021 | 08h32

A Havan anunciou nesta quinta-feira que vai patrocinar a transmissão dos jogos da Copa América no SBT. O torneio começa neste domingo e a final será no dia 10 de julho, no Maracanã. Ligado ao presidente Jair Bolsonaro, o dono da Havan, Luciano Hang, festejou nas redes sociais o acordo com o SBT. "Tenho certeza de que será uma competição que irá alegrar toda a população brasileira. Nós temos um slogan na Havan de que 'Patrocinar é acreditar' e a Havan acredita no SBT e no Brasil. Estamos todos juntos torcendo pela nossa seleção e pelo sucesso desta competição", disse.

A emissora de Sílvio Santos também se manifestou sobre a transmissão dos jogos da Copa América, defendendo o torneio de seleções que começa com Brasil e Venezuela, domingo, e explicando sua aposta no futebol. "O SBT decidiu voltar a disputar os direitos de futebol e, com profissionalismo e respeito aos demais concorrentes, tem sido vencedor em torneios relevantes como a Copa Libertadores, Champions League, Europa League, Copa do Nordeste e a Copa América. O SBT faz isso porque acredita que o futebol, sendo o esporte mais popular de todos e de grande atração de audiência, é uma combinação perfeita com uma emissora popular como a nossa, tão querida pelo público."

O acordo entre Havan e SBT refere-se exclusivamente às transmissões dos jogos e ocorre justamente após empresas que patrocinam diretamente a Copa América desistirem de exibirem as suas marcas no torneio em meio a críticas à competição. A Mastercard foi a primeira a anunciar a sua saída da Copa América, na terça-feira. Depois, Ambev e Diageo fizeram o mesmo.

Inicialmente, o torneio continental seria realizado na Colômbia, que desistiu por problemas políticos internos, e na Argentina, que declinou em função do agravamento da pandemia de covid-19. O Brasil, então, decidiu receber a competição na semana passada.

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) encaminhou na segunda-feira ofício para que a CBF, Estados e municípios sedes de jogos da Copa América sejam investigados por eventuais "atos violadores dos direitos à vida e à saúde". Também serão alvos do Ministério Público Federal o SBT e a Disney, responsáveis pela transmissão dos jogos, além das patrocinadoras. Foram citadas Mastercard, Ambev, Latam, Semp TCL, Diageo, Kwai, Betsson e TeamViewer21 e Betfair22.

Os procuradores alegam que a realização da Copa América no Brasil não tem garantias de que não haverá alta transmissibilidade e também que o evento colocará em risco a saúde dos funcionários ligados à competição - jogadores, comissão técnica, jornalistas, seguranças e serviços auxiliares.

Carta Aberta sobre a Transmissão da Copa América em TV Aberta pelo SBT

O Esporte sempre foi um dos instrumentos de formação e de inclusão social, propiciando à população em geral o acesso a uma vida mais saudável e a oportunidade concreta de ascensão social para milhares de jovens. Nesse sentido, o futebol seguramente é o mais visível e acessível em nosso país; gera paixão, aspiração e sentimento de pertencimento na população, ao ver seu time campeão ou quando vê a Seleção Nacional jogando e conquistando títulos. Muitos dos ídolos brasileiros vieram do futebol que faz parte de nosso patrimônio cultural.

Justamente por entender essa importância, o SBT decidiu voltar a disputar os direitos de futebol e, com profissionalismo e respeito aos demais concorrentes, tem sido vencedor em torneios relevantes como a Copa Libertadores, Champions League, Europa League, Copa do Nordeste e a Copa América. O SBT faz isso porque acredita que o futebol, sendo o esporte mais popular de todos e de grande atração de audiência, é uma combinação perfeita com uma emissora popular como a nossa, tão querida pelo público. O SBT está trazendo grandes eventos e fazendo uma transmissão com sua cara, do seu jeito, que se espelha no brasileiro de todos os cantos do país, e preocupado sempre em engrandecer o futebol, os clubes e as marcas patrocinadoras. O SBT, percorrendo as trilhas do jogo limpo e competitivo, sem qualquer protecionismo, está dando pluralidade democrática ao futebol em TV aberta para que não fique concentrado. Isso é relevante! Ganham o público e o esporte!

Assim, no final de 2020, o SBT deu início às negociações pelos direitos de transmissão da Copa América que legitimamente conquistou, e assumiu a obrigação de transmissão onde quer que ocorresse. Coerentemente, o SBT realizará a transmissão da Copa América em cumprimento aos contratos de direitos e de patrocínios, tal qual vem ocorrendo com todos os demais detentores de direitos de futebol e olimpíadas neste exato momento, e em acordo com as diretrizes de cada Estado da Federação. Cabem às Autoridades, Confederações, Federações e Clubes resguardarem todas as questões relacionadas aos protocolos sanitários necessários em função da pandemia, para que todos os campeonatos de futebol e eventos esportivos em andamento continuem sendo um ambiente seguro a todas as pessoas envolvidas.

Ao SBT, cabe informar com isenção, como tem feito desde o início da pandemia, para a devida conscientização sobre a importância do uso de máscaras, do distanciamento social, da não aglomeração de pessoas e desejar que consigamos avançar rapidamente com a vacinação de toda população para assim superarmos essa enorme crise que tantas vidas já levou em nosso país e no mundo e pelas quais lamentamos e nos solidarizamos.

O SBT acredita na capacidade da Conmebol para a organização segura do torneio e espera que tudo corra bem com os atletas, delegações e profissionais envolvidos em sua execução e cobertura, e que a transmissão possa levar um conteúdo de qualidade ao nosso público e aos nossos patrocinadores. Esta é a posição do SBT.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa América de Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.