Hernanes ansioso pela estréia do São Paulo na Libertadores

Meio-campista está animado com as recentes atuações do time e espera pela competição internacional

Giuliano Villa Nova, O Estado de S. Paulo

12 de fevereiro de 2008 | 19h40

O volante Hernanes ficou animado com a exibição do São Paulo, no clássico diante do Santos. Assim como o técnico Muricy Ramalho, o jogador entende que o time melhorou muito e está no caminho certo para a estréia da Copa Libertadores, no dia 27, contra o Nacional de Medellín, na Colômbia. Veja também: Adriano pode levar suspensão de 120 dias por expulsão Dagoberto volta aos treinos e deve reforçar São Paulo "Percebi que tivemos uma boa evolução em relação aos últimos jogos, estivemos mais dispostos, corremos e lutamos muito", comentou Hernanes. "Diziam que o Santos poderia nos superar na base da vontade, porque tem jogadores mais jovens, mas nós é que tivemos mais disposição em campo", comparou.Muricy Ramalho apontou a participação de Hernanes e Fábio Santos como um dos pontos fundamentais para a vitória no clássico. "Eles fizeram o papel de meias e conseguiram se aproximar bastante do ataque", explicou o treinador. Se depender de Hernanes, a orientação será mantida, para o jogo contra o Marília, no domingo. "Gosto de atuar dessa forma, com mais liberdade para ir à frente e ajudar no ataque", disse o jogador, lembrando que viveu sua melhor fase no clube quando desempenhou função parecida, em 2007, na conquista do Campeonato Brasileiro.Muricy Ramalho não quer antecipar a escalação para enfrentar o Marília, mas pretende utilizar a semana sem jogos pelo Campeonato Paulista para aprimorar detalhes de posicionamento - ponto que considerou falho, diante do Santos. "Pode ser legal para o torcedor, ter jogos todos os dias, de quarta-feira e domingo. Mas o futebol não funciona assim: é preciso tempo para treinar", observou Muricy.Apesar de ter decidido o jogo diante do Santos, o meia Carlos Alberto deve continuar como opção no banco de reservas. "Ele está apenas no começo da sua recuperação, e sabe disso", comentou Muricy. "Ainda vamos exigir mais dele, porque sabemos que ele pode render mais", projeta o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.