Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Hernanes diz que meta é não deixar titulares relaxarem na seleção

Para o volante, reserva não é lugar de aborrecimento e chateação

Leandro Silveira,

29 de maio de 2014 | 16h21

TERESÓPOLIS - Com o time titular da seleção brasileira praticamente definido desde a conquista do título da Copa das Confederações, o volante Hernanes admitiu nesta quinta-feira que deverá ser reserva durante a disputa da Copa do Mundo. O jogador da Inter de Milão, porém, garante que a condição não o chateia e destacou que os suplentes tem uma função importante no grupo: impedir que os titulares se acomodem.

"A gente sabe que o time está entrosado e definido. É difícil entrar, conseguir uma vaga porque está encaixado. Mas o objetivo é querer jogar e isso é positivo para todo o grupo porque não deixa o titular relaxar, ele sabe que tem um cara doido para jogar, querendo tomar a vaga, mostrando seu potencial, então não pode vacilar", disse Hernanes, em entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), onde a equipe se prepara para a Copa do Mundo.

Para o meio-campista, a intensidade dos titulares nos treinamentos fortalece a seleção brasileira e permitirá a elevação do nível dos titulares. "Isso é saudável para o grupo. Se todos se dedicarem para mostrar que podem jogar, o grupo se fortalece, porque o titular tem que ser ainda melhor. A briga aumenta e faz com que se tente superar os limites", completou.

Hernanes é reserva da seleção brasileira, mas também um dos jogadores mais utilizados pelo técnico Luiz Felipe Scolari, tanto que entrou em campo em todos os jogos da vitoriosa campanha da Copa das Confederações, sendo titular na vitória por 4 a 2 sobre a Itália. E a polivalência é a sua principal arma para conquistar espaço na equipe, como admitiu o próprio jogador.

"É algo que todos conhecem. Comecei no São Paulo como segundo volante, depois fui mais para frente. Na Lazio, fui quase um segundo atacante no primeiro ano. Joguei em várias posições e aprendi com isso. Mas aqui também tem outros jogadores ecléticos", lembrou o jogador.

Na opinião de Hernanes, as suas boas atuações também o ajudaram a conquistar a confiança de Felipão. "Nas vezes em que entrei, demonstrei e fiz o que ele queria, então adquiri a confiança dele. Se precisar começar jogando, mostrei que darei contra do recado", comentou.

Apesar disso, Hernanes não tinha presença garantida na lista final de convocados da seleção brasileira para a Copa do Mundo até a divulgação dos nomes por Felipão, como o próprio jogador reconheceu. "Sempre esperei estar na lista, mas esperança é diferente de certeza", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.