Hernanes minimiza pressão uruguaia contra o São Paulo

'Haverá muita catimba, malandragem... mas não podemos entrar nessa', afirma o jogador são-paulino

Agência Estado,

25 de abril de 2008 | 10h36

O meia Hernanes, do São Paulo, diz não estar preocupado com fatores como a pressão da torcida uruguaia e a catimba do Nacional no primeiro jogo do confronto das oitavas-de-final da Libertadores da América. Para o jogador, o clube paulistano é acostumado à competição e saberá evitar as armadilhas do rival. Veja também: Muricy Ramalho alivia a pressão no São Paulo e desabafa "O Nacional aprontou com o Flamengo lá e temos que ficar atentos para também não sermos surpreendidos. Haverá muita catimba, malandragem... mas o time conhece bem a competição e não pode entrar nessa", disse. Na primeira fase, o Flamengo saiu com derrota por 3 a 0 do Estádio Parque Central, em Montevidéu. O campo acanhado em que a equipe uruguaia tem mandado seus jogos também é um fator que poderia atrapalhar a equipe paulistana. Mas, pelo menos para Hernanes, as dimensões do gramado não serão problema. "Até gosto de campos menores, com pressão da torcida. Isso não me atrapalha em nada. O mais complicado é encontrar gramados sem condições", afirmou o volante. A primeira partida entre São Paulo e Nacional foi confirmada pela Conmebol para a quarta-feira, dia 30 de abril, às 21h50.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.