DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Hernanes: torcida do São Paulo 'tem direito de xingar e reclamar'

Camisa 15 diz que partida de ida, na Argentina, foi determinante para eliminação na Libertadores

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2019 | 23h43

O meio-campista Hernanes foi o único jogador do São Paulo a conceder entrevista no campo após o empate sem gols contra o Talleres-ARG, nesta quarta, no Morumbi, que culminou na eliminação tricolor da Libertadores. O jogador pediu desculpas aos torcedores e concordou com as vaias e xingamentos vindos das arquibancadas durante boa parte do segundo tempo e após o apito final.

"A torcida tem o direito de xingar e reclamar. Damos razão. O time hoje correu, lutou e acreditou. Acho que pecamos no jogo da ida. Hoje a gente se frustra, mas pedimos desculpas para o torcedor. Fizeram uma festa magnífica. Torcedor, desculpa. Mas vamos levantar a cabeça", afirmou o camisa 15, que classificou a primeira partida (derrota por 2 a 0) como "determinante" para a queda precoce no torneio.

"É frustrante. O torcedor merecia um resultado melhor. Sabíamos que era difícil. Difícil encontrar palavras para justificar um momento triste. Nós queríamos a classificação, mas temos consciência de que o jogo na Argentina foi determinante. Foi praticamente igual, eles conseguiram ganhar em dois lances fortuitos e depois se classificaram aqui em casa. É levantar a cabeça, domingo tem clássico, mas a vida segue", comentou o Profeta.

"Em jogo como esse não é tática nem técnica, é coração. Hoje o time teve isso. Mas pecamos no jogo de ida. Temos que honrar a camisa. Trabalhar do jeito que fizemos hoje", finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.