Eitan Abramovich/AFP
Eitan Abramovich/AFP

Herói da final, Luan celebra título da Libertadores: 'A gente merecia'

Atacante é um dos destaques da conquista do Grêmio, com golaço sobre o Lanús na grande final

Estadão Conteúdo

30 Novembro 2017 | 00h18

Luan foi o maestro do Grêmio nesta quarta-feira. Armador das principais jogadas e autor de um golaço, o segundo da equipe, foi fundamental na vitória por 2 a 1 sobre o Lanús, na Argentina, que deu ao clube gaúcho seu terceiro título da Libertadores na história. Não à toa, foi eleito o melhor jogador da competição.

+ Antero Greco - Grêmio, tri impecável

+ Renato Gaúcho 'decreta' feriado em Porto Alegre após título do Grêmio

Como era de se esperar, a emoção tomou conta do meia-atacante após o apito final. E ao fazer um balanço da campanha, garantiu que a conquista foi merecida. "É comemorar agora. A gente sempre vinha batendo na trave. A gente merecia. Está todo mundo de parabéns. Ao torcedor, vamos comemorar. Vamos acabar com o planeta", disse ao SporTV, entoando um lema da torcida tricolor.

Se Luan foi o grande destaque desta quarta-feira, Marcelo Grohe foi decisivo na partida de ida, em Porto Alegre. Se o Grêmio segurou o Lanús e venceu por 1 a 0 na semana passada, foi porque o goleiro fez pelo menos duas grandes defesas, coroando seu ótimo desempenho ao longo da competição.

"Só Deus sabe o que eu passei para chegar aqui, o que o grupo passou. Agora, é agradecer a todos que confiaram no meu trabalho. Foi uma longa trajetória. Mas parabéns a esse grupo. Não tem palavras, é emocionante", comentou o goleiro.

"A longa trajetória" citada por Grohe não reflete o que passou Cícero com a camisa do Grêmio. Contratado apenas para a reta final da Libertadores, já que não podia atuar pelo clube no Brasileirão, o meia aceitou o desafio e se transformou em um dos heróis improváveis do título, ao marcar o gol da vitória na decisão em Porto Alegre.

"Tem coisas que não têm explicação. Não tinha resolvido a vida antes porque tive um problema na família. E quando veio a ligação do Grêmio, minha vida estava se estabilizando. Aí, não pensei duas vezes", lembrou. "Conseguimos trazer uma vantagem boa e, agora, apresentar um bom futebol para ser campeão."

Outro herói pouco esperado na decisão foi Fernandinho, que abriu o placar nesta quarta-feira ao marcar seu primeiro gol nesta Libertadores. "Por mim, eu teria feito este gol lá atrás. Mas Deus reservou o melhor momento, na decisão", comemorou o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.