Vinnicius Silva / Cruzeiro
Vinnicius Silva / Cruzeiro

Herói do Cruzeiro, Fábio diz que esperava pegar pênalti; colegas fazem elogios

Mano Menezes aprova atuação do time, mas ressalta que Santos foi mais eficiente

Estadão Conteúdo

16 Agosto 2018 | 09h06

O Cruzeiro foi derrotado no tempo normal pelo Santos por 2 a 1, mas avançou às semifinais da Copa do Brasil ao vencer na disputa por pênaltis por 3 a 0. No estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, na noite de quarta-feira, o grande herói foi o goleiro Fábio, que defendeu as três cobranças do time paulista. E ele mostrou humildade ao falar da vitória.

"Eu tive um aproveitamento bom, mas em jogo a gente sabe que é totalmente diferente. O meu pensamento era pegar um pênalti para ajudar os meus companheiros a ter mais tranquilidade em um momento tão difícil. O Santos teve os méritos, conseguiu fazer um belo jogo. A gente conseguiu jogar bem também, a bola não entrou. Só tenho que agradecer. Jesus é maravilhoso", declarou o goleiro.

Seus companheiros de equipe foram só elogios a Fábio após a classificação. "Ontem (terça-feira), no treinamento de pênaltis, o Fábio pegou, acho que, de 20 batidas, ele pegou umas 12, 13. Nos treinamentos ele estava sensacional e hoje (quarta) ele provou. É fruto de treinamento e o Fábio é o melhor goleiro do Brasil disparado", comentou o lateral-esquerdo Egídio.

O volante Lucas Silva, autor do primeiro gol na disputa de pênaltis, também enalteceu as qualidades de Fábio, atleta que mais vezes vestiu a camisa do Cruzeiro, com 785 partidas disputadas até agora. "Nós treinamos muito bem as penalidades e o nosso goleiro é fora de série", resumiu.

O técnico Mano Menezes também destacou a excelente atuação de Fábio e o bom desempenho do time, que criou muitas situações de gols para definir a vitória ainda no tempo normal. "O Cruzeiro fez uma boa partida, embora tenha perdido o jogo porque o Santos foi mais eficiente nas oportunidades. Nós tivemos sete oportunidades claras de gol, duas bolas na trave, mas o futebol não é um jogo de justiça", disse.

"Acho que o Fábio mais uma vez foi brilhante, mas nós iríamos fazer os cinco (gols de pênalti) também, do jeito que a coisa estava indo, porque treinamos pênaltis ontem (terça-feira). Passamos e chegamos entre os quatro pela terceira vez consecutiva", finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.