Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Herói do Liverpool, Firmino elogia o Flamengo e projeta: 'Que seja uma grande final'

Atacante brasileiro fez o gol da vitória sobre o Monterrey, pela semifinal do Mundial

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2019 | 18h06

Depois de 38 anos, Liverpool e Flamengo se reencontrarão em uma final de Mundial. Para chegar nela, o clube inglês contou nesta quarta-feira com o faro de artilheiro do brasileiro Roberto Firmino, que, poupado pelo técnico alemão Jurgen Klopp, entrou aos 39 minutos do segundo tempo e marcou aos 45 o gol da vitória sobre o Monterrey por 2 a 1, nesta quarta-feira, em Doha.

O atacante, depois do duelo contra os mexicanos, comemorou bastante a vaga na decisão deste sábado e fez elogios ao Flamengo. "Estou muito feliz. Primeiramente de estar na final e depois de jogar contra uma equipe brasileira com vários jogadores que eu conheço que estiveram comigo na seleção. Então, vai ser um grande jogo, contra uma equipe muita qualificada como a do Flamengo. Espero que seja uma grande final", afirmou, em entrevista ao SporTV.

Firmino sabe que o Liverpool terá muito trabalho para derrotar o Flamengo. "É legal jogar contra uma equipe brasileira, com grandes jogadores. Tem um bom treinador (o português Jorge Jesus), que está fazendo um belo trabalho. Não vai ser fácil, eles estão jogando muito bem. Eles têm vários jogadores rodados. Não falo velhos, mas atletas que jogaram na Europa, têm uma carreira boa. A gente tem que tomar cuidado e estar focado", prosseguiu.

Sobre seu gol, o brasileiro revelou não ter muita recordação do lance, mas exaltou o entrosamento com o lateral-direito Alexander-Arnold, que também entrou no segundo tempo e deu a assistência. "Eu só lembro do cruzamento, foi tudo muito rápido. Eu esperava que ele fosse cruzar ali, a gente já se conhece de alguns anos. Fui feliz de fazer o gol", completou.

Do outro lado, o goleiro Alisson teve trabalho contra o Monterrey. Fez defesas importantes quando a partida estava empatada por 1 a 1. "A gente já esperava um jogo difícil, é o jogo da vida de todos os jogadores. Talvez o europeu não tenha a mesma mentalidade do sul-americano. Já tínhamos visto que o Monterrey fez um bom trabalho contra o Al Sadd e hoje (quarta-feira) nos dificultaram muito. Tiveram chances de vencer, deram mais chutes a gol do que nós. Apesar de as melhores chances terem sido nossas. Estamos de parabéns pela classificação", disse.

O melhor goleiro do mundo, segundo a Fifa e a revista France Football, projetou a decisão e disse que para a equipe inglesa também será um grande desafio se colocar frente a um estilo diferente do que estão acostumados. "Não será só um teste só para o Flamengo, será um teste para nós também. Eles têm um estilo de jogo diferente do que estamos acostumados. Agora sim vamos nos preparar para essa partida. Vamos dar o melhor para conquistarmos o título, que é muito importante para nós", afirmou.

"No Flamengo tem muitos jogadores com quem eu me dou bem. O Gerson, o Diego Alves, Diego, Filipe Luís, Rafinha, o presidente também (Rodolfo Landim), que esteve conosco na seleção. Vai ser muito legal reencontrá-los. Acho que vai ser um grande espetáculo", finalizou o goleiro do Liverpool.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.