Pedro Souza/Atlético
Pedro Souza/Atlético

Herói do título, Keno se declara ao Atlético-MG: 'Sou torcedor, não só jogador'

Atacante marca duas vezes para definir a virada e o título dos mineiros após 50 de espera

Redação, Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2021 | 20h32

Quis o destino que um baiano, que jamais atuou pelos clubes de Salvador, fosse o herói do título do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro em plena Arena Fonte Nova nesta quinta-feira. Marcos da Silva França, Keno para os íntimos e para a torcida, marcou dois gols da vitória, de virada, por 3 a 2 sobre o Bahia que garantiu a derrubada do tabu de 50 anos.

"Eu fico feliz que foi na minha terra. Parabéns a torcida do Bahia que fez uma festa bacana. A gente merece bastante pela luta e pela garra, fiz dois gols, fiquei muito feliz", disse o atacante, muitas vezes criticado pela torcida.

Keno se declarou ao Atlético, mais novo campeão do Brasileirão. O clube de Belo Horizonte não dava a volta olímpica desde 1971. Essa foi a primeira conquista dos mineiros nos pontos corridos.

"Sou um torcedor também, não só jogador. Temos que festejar, 50 anos é muita coisa. Lutamos bastante, agora é só festejar", completou.

Com a vitória, o Atlético chegou a 81 pontos, enquanto o Flamengo, único que tinha chances matemáticas, só pode chegar a 79. O título garantiu ao campeão uma premiação de R$ 33 milhões. O Atlético-MG volta a campo no domingo, às 16h, para fazer a festa no Mineirão, pela 37ª rodada. O duelo será diante do Red Bull Bragantino.

APÓS TÍTULO, ARANA SOLTA PALAVRÃO PARA ELOGIAR TORCIDA

Um dos destaques na campanha do Atlético-MG para a conquista do título brasileiro, o lateral-esquerdo Guilherme Arana foi um dos jogadores mais felizes à beira do campo. Após abraçar o atacante Hulk, o lateral fez elogios à torcida atleticana, campeã 50 anos após a primeira conquista, no longínquo 1971.

"Vou falar uma palavra feia, mas não tem jeito. Eles são f.... Os torcedores nunca abandonaram o clube. E isso mostra que não precisa ter tantos troféus para ser um time grande", desabafou.

Arana citou que, desde o início do ano, a torcida sempre esteve ao lado do time e que se agigantou recentemente quando o Mineirão teve seus portões abertos após a pandemia de covid-19. "A torcida sempre nos apoiou e agora precisa se acostumar com títulos. Ela merece!" completou.

Hulk, ao seu lado, recebeu um abraço e deu méritos ao trabalho todo desenvolvido no clube. "Este grupo de jogadores é maravilhoso. Eles me fizeram voltar a ser um moleque da base, a me motivar cada vez mais", completou.

Hulk foi o último a deixar o gramado, sem antes dar sua camisa a um garoto na arquibancada. Com ar de dever cumprido, desceu para festejar nos vestiários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.