Herói, Julio Cesar chora e lembra lágrimas de 2010

Depois de pegar dois pênaltis, Julio Cesar relembra as falhas que fizeram o Brasil ser derrotado para Holanda na África do Sul

Agência Estado

28 de junho de 2014 | 16h33

O choro de Julio Cesar marcou a eliminação do Brasil na Copa do Mundo de 2010. Afinal, foi uma falha dele que causou a derrota para a Holanda, nas quartas de final. Ainda na saída de campo naquela partida, o goleiro mostrou todo seu desapontamento em ver o sonho do título escapar por entre suas mãos. Quatro anos depois, a mesma cena de Julio Cesar chorando, desta vez como herói. Com duas defesas de pênalti, ele garantiu a vitória sobre o Chile.

"Quatro anos atrás, eu dei uma entrevista muito triste, chateado, emocionado. Estou repetindo hoje, mas com felicidade. Só deu sabe o que a minha família o que eu passei e o que eu passo até hoje. Mas sei que a minha história na seleção ainda não acabou", garantiu Julio Cesar, em entrevista pós jogo. Antes de começar a resposta, porém, o goleiro precisou respirar fundo por alguns segundos, abafando a voz embargada pelo choro.

Execrado há quatro anos, Julio Cesar chegou a perder o posto na seleção, mas o recuperou a tempo de jogar a Copa América. Com Felipão, ganhou confiança a ponto de ser convocado, antecipadamente, mesmo quando estava sem jogar na segunda divisão do Campeonato Inglês. Criticado, respondeu em campo.

"Meus companheiros estão me dando muita força, para chegar em campo em dar o meu melhor. Faltam três degraus. Espero dar outra entrevista de felicidade com o Brasil todo em festa. Esse é o meu grande sonho", completou o goleiro.

O jogador, que já havia chorado antes mesmo das cobranças de pênaltis, admitiu a enorme pressão nas costas do time. "É complicado psicologicamente falar, porque, para nós, representar nosso País jogando em casa, é uma pressão muito forte", ressaltou.

O jogo em si Julio Cesar descreveu como "muito difícil". "Apesar do primeiro tempo ter sido bem jogado por nós, quando criamos boas chances, depois do empate o Chile se encontrou em campo e começou a dificultar nosso jogo", avaliou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.