Herói, Patrik evita exigir titularidade no Palmeiras

Autor do gol da vitória do Palmeiras por 1 a 0 sobre o Oeste, domingo, em Itápolis, o meia-atacante Patrik adotou discurso humilde e disse que ainda precisa melhorar. Formado nas categorias de base do clube, ele admitiu que ainda não apresentou um futebol de qualidade, mas também ressaltou que não teve uma sequência para se firmar. Mas, para evitar qualquer polêmica, agradeceu o apoio dado pelo técnico Luiz Felipe Scolari.

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2011 | 11h08

"Eu tenho treinado bastante para melhorar e evoluir. Reconheço que fiquei devendo em alguns jogos, mas acho que nunca tive uma sequência de jogo ao ponto de ser cobrado. A gente sabe da responsabilidade que é vestir a camisa do Palmeiras e por isso eu sempre dou o máximo nos treinamentos para receber as chances nos jogos. Agradeço muito ao elenco, que tem me ajudado, e principalmente ao Felipão e ao Murtosa. Eles me incentivam dia a dia e graças a eles que eu tenho procurado atingir o meu melhor", disse.

Patrik substituiu Dinei durante o segundo tempo do jogo com o Oeste e marcou o gol da vitória aos 41 minutos. Apesar da atuação decisiva, ele acredita ser cedo para assumir a condição de titular. "O Felipão sabe que pode contar comigo e acho muito cedo falar em titularidade. Temos bons atacantes e meias e minha meta é continuar ajudando e entrando bem durante os jogos", afirmou.

Ao explicar a jogada do seu gol, Patrik dividiu os méritos com o atacante Luan, que lhe deu a assistência na jogada. "Já passava dos 40 minutos e eu entrei para vir de trás com a bola dominada. Quando o Luan recebeu na esquerda, procurei me posicionar mais pelo meio e felizmente a bola chegou em mim ''redonda''. O Luan teve mérito em metade do gol, pois o cruzamento dele foi perfeito", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.