Fluminense/ Divulgação
Fluminense/ Divulgação

Herói que evitou rebaixamento em 2009, Marquinho volta ao Fluminense

Jogador assinou por três anos e vestirá a camisa 77

Estadão Conteúdo

14 de julho de 2016 | 15h50

O Fluminense apresentou nesta quinta-feira, na sede do clube, em Laranjeiras, no Rio, o meia Marquinho, de 30 anos, que volta ao clube após passagem entre 2009 e 2011. O jogador assinou contrato por três anos e usará a camisa 77 nesta temporada.

Autor do gol que manteve o time tricolor na primeira divisão em 2009, Marquinho comemorou o retorno. "É muito bom estar aqui. Clube do meu coração, que tive a maior identidade em toda minha carreira. É bom estar de volta, quero dar muitas alegrias aos torcedores. Estou muito feliz de voltar para casa. Nos veremos no estádio".

Em 2009, o Fluminense passou boa parte da competição na zona de rebaixamento. Faltando oito rodadas, amargava a lanterna quando começou a reação, sob o comando do técnico Cuca. Foram seis vitórias e dois empates, com 18 gols marcados e sete sofridos.

A última partida foi contra o Coritiba, fora de casa, adversário direto contra a degola. Com gol de Marquinho, o time carioca conseguiu empatar em 1 a 1, terminou a competição em 16.º e empurrou o adversário para o rebaixamento. No ano seguinte, Marquinho foi campeão brasileiro pelo Fluminense.

Revelado pelo Palmeiras em 2007, o meia também teve passagens por Botafogo e Figueirense até fechar com o Fluminense pela primeira vez. Durante os três anos, participou de 158 jogos e marcou 18 gols. Foi negociado para a Roma, onde não conseguiu se adaptar.

O clube italiano o emprestou ao Verona e na sequência ao Al Ittihad, da Arábia Saudita. Em 2015, acertou com a Udinese e foi emprestado no primeiro semestre ao Al Ahli, dos Emirados Árabes Unidos, antes de voltar para o time tricolor.

"Estou muito ansioso. Lá fora é muito diferente a torcida. O calor do torcedor do Fluminense é muito especial. Estou ansioso pra ver esta torcida. Empenho é o mínimo que posso garantir. É a minha característica e isso não vai mudar nunca", completou Marquinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.