Hodgson é convidado e deve ficar à frente do time inglês

Mesmo após a eliminação da Inglaterra na Copa do Mundo de 2014, o técnico deve comandar a equipe até pelo menos 2016

AE, Agência Estado

20 de junho de 2014 | 16h11

Após mais um triunfo inesperado da Costa Rica no "grupo da morte", desta vez contra a Itália, a Inglaterra deu adeus à Copa do Mundo nesta sexta-feira. No entanto, apesar da eliminação ainda na fase de grupos, o técnico Roy Hodgson continua com moral na Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), que a convidou para permanecer no cargo até 2016.

"Apoiamos Roy Hodgson e pedimos para que ele continue como o treinador da seleção", disse o presidente da entidade, Greg Dyke, acrescentando que não vê motivos para mudanças. "Achamos que Roy tem feito um bom trabalho; trata-se de uma abordagem de quatro anos. Esperamos fazer melhor na Eurocopa (em 2016)", completou.

Após a derrota contra o Uruguai, na última quinta, o ex-comandante de equipes tradicionais do Velho Continente como Internazionale e Liverpool lamentou muito o resultado, mas deixou claro o desejo de continuar à frente da seleção inglesa. "É claro que estou muito desapontado, mas não sinto que preciso renunciar", afirmou.

Aos 66 anos e desde 2012 no comando da Inglaterra, Roy Hodgson tem como melhor resultado pela seleção a campanha das quartas de final da Eurocopa no mesmo ano em que assumiu o cargo. Na ocasião, na Polônia e na Ucrânia, o time inglês foi eliminado nos pênaltis pela Itália, mesmo algoz da estreia da Copa no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.