Olaf Kraak/ EFE
Olaf Kraak/ EFE

Holanda é mais eficiente, vence a Áustria e se garante nas oitavas da Eurocopa

Seleção austríaca terá duelo decisivo contra a Ucrânia na próxima segunda-feira

Ricardo Magatti, Estadão Conteúdo

17 de junho de 2021 | 18h12

Em um jogo de bom nível técnico em Amsterdã, a Holanda foi mais eficiente que a Áustria e derrotou a seleção adversária por 2 a 0, com um gol em cada tempo. Astro do time anfitrião, Depay marcou de pênalti e Dumfries selou o triunfo que garantiu aos holandeses a vaga antecipadas nas oitavas de final da Eurocopa.

Isso porque a seleção holandesa somou sua segunda vitória no torneio - havia vencido a Ucrânia na estreia - e se isolou na liderança do Grupo C, com seis pontos. É a terceira seleção a avançar às oitavas por enquanto - as outras são Itália e Bélgica.

A Áustria parou nos três prontos, fruto do triunfo sobre a Macedônia do Norte na rodada de abertura da chave, o primeiro em sua história na competição. Está no terceiro lugar do grupo e ainda viva na briga pela classificação. Na rodada final, fará o duelo direto pela vaga ao mata-mata contra a Ucrânia.

Organizada, bem armada defensivamente e com meio-campistas e atacantes talentosos, a Holanda não fez um grande jogo, mas foi superior em boa parte do duelo disputado na Johan Cruijff Arena, em Amsterdã. Os anfitriões conseguiram um gol cedo, aos dez minutos, o que lhes ajudou em sua estratégia.

De Vrij se aventura no ataque pela direita, cortou para o meio após carrinho de Hinteregger e se jogou na área bizarramente. Na sequência do lance, contudo, Alaba pisou no pé de Dumfries. O árbitro foi ao monitor rever o lance e apontou para a marca da cal. Na cobrança, Depay bateu com força, rasteiro, no canto direito e o goleiro Bachmann não alcançou.

A Áustria passou a ter mais a bola após sofrer o gol, mas encontrava dificuldades para construir as jogadas ofensivas. A Holanda não dava espaços, mas também não conseguia sair em contra-ataque, o que deixou o jogo truncado no primeiro tempo. Com o meio congestionado, os austríacos tentaram o empate em arremates de fora da área, mas a pontaria estava descalibrada.

Os holandeses se defenderam bem e ficaram mais perto do segundo gol do que os austríacos do empate. Não fossem alguns detalhes teriam ampliado o marcador. Depay perdeu chance de ouro ao finalizar por cima do gol de Bachmann no lado esquerdo e Wijnaldum também quase marcou, mas Ulmer apareceu para tirar no meio do caminho.

Na etapa final, a Holanda prosseguiu com sua estratégia de deixar a bola com a Áustria e tentar, quando possível, um contragolpe para sacramentar o resultado. A proposta fez os holandeses levarem alguns sustos, mas a limitação dos austríacos impediu que eles incomodassem o rival a ponto de empatar e até virar o jogo.

Nesse cenário, os donos da casa armaram o tão almejado contra-ataque e anotaram o segundo gol, que definiu o placar aos 21 minutos. Com a defesa rival desarrumada, Malen avançou livre pela esquerda, entrou na área e rolou para Dumfries empurrar para o gol. Bachmann ainda tocou na bola, mas não evitou o gol que sacramentou o triunfo holandês em Amsterdã. A Áustria tentou alguns poucos ataques, mas, exceto o chute forte para fora de Alaba, o craque da equipe, não assustou.

Apesar da vitória, o time do técnico Frank de Boer teve mais sorte do que juízo em alguns momentos e tem lastro para apresentar um futebol melhor do que o que se viu nesta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.