Holandeses de olho no Palestra Itália

A empresa que presta consultoria para o Amsterdam Arena, o moderno estádio do Ajax, da Holanda, está ?namorando? o Palestra Itália. A idéia é captar investimentos para melhorar a infra-estrutura do estádio do Palmeiras.Dois executivos dessa empresa holandesa, chamada Amsterdam Arena Advisory, visitaram o Palestra Itália há duas semanas. Conheceram o projeto que o clube já possui para ampliação e reforma do estádio, e voltaram satisfeitos para a Holanda. ?Foi um primeiro contato e muito proveitoso?, revelou o diretor administrativo do Palmeiras, Roberto Frizzo. ?Eles (os holandeses) tiraram fotos, viram o nosso projeto de arena multiuso e ficaram de mandar a resposta mais tarde.?A idéia dos holandeses não é entrar com capital próprio, mas captar recursos de outras empresas para investimento no estádio palmeirense. Através de contrato de prestação de serviços por um determinado período, eles ganhariam em cima de outros eventos que pudessem ser realizados no Palestra Itália, como shows musicais. Ao Palmeiras, caberia todo o dinheiro arrecadado com as partidas de futebol que, como acreditam os holandeses, seria aumentado com as reformas no estádio, já que os torcedores passariam a ir mais ao Palestra após as reformas. Atualmente, a média de público no estádio palmeirense é de pouco mais de 8 mil pessoas por jogo.A empresa holandesa se comprometeria a reformar os restaurantes e camarotes do estádio, visando o conforto dos torcedores, como acontece na Amsterdam Arena. Além do Palmeiras, eles procuraram também o Náutico, que disputa o quadrangular final da Série B do Brasileiro.Independentemente do interesse dos holandeses, o Palmeiras segue tocando o seu próprio projeto de reforma do Palestra Itália. A próxima obra que deve ficar pronta é a da nova lanchonete, que passará a ocupar o espaço abaixo da arquibancada recém-construída ao lado do setor das cadeiras cativas.Para o lugar da velha lanchonete, há um projeto de construção de um museu, que ficaria como uma extensão da já existente sala de troféus do clube. Não há prazo para o fim das obras.O projeto de cobrir o estádio continua em estudo. Além de ser uma obra cara ? a reforma total custaria quase R$ 50 milhões ?, o projeto enfrenta resistência de gente do clube que acredita que o parque aquático possa ser afetado com a nova arquitetura do estádio.Paralelamente a isso, a diretoria enviou ontem para a CBF o laudo da Polícia Militar que libera o Palestra Itália para receber a partida contra o São Paulo, dia 13 de novembro. Por enquanto, o clássico está marcado para o Pacaembu.?Não vemos motivos para não realizar esse jogo no Palestra Itália?, diz Roberto Frizzo, que emenda: ?O Coronel Serpa, da Polícia Militar, elogiou nossa estrutura, classificando-a como modelo. O tempo total de evacuação do estádio, por exemplo, é de 12 a 14 minutos, um padrão de arena européia?.

Agencia Estado,

25 de outubro de 2005 | 09h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.