Homem é condenado por atacar seleção de Togo

Um tribunal angolano condenou Jean Antuan Pwaty a 24 anos de prisão pelo ataque a seleção de Togo no início deste ano, dias antes do início da Copa Africana de Nações. O advogado do sentenciado já antecipou que irá recorrer da decisão.

AE-AP, Agência Estado

30 de dezembro de 2010 | 11h43

Cidadão congolês de 42 anos, Pwaty foi condenado por uma série de crimes, como assassinato, rebelião armada e tentativa de assassinato. O ataque foi realizado na região de Cabinda, grande polo petrolífero de Angola.

Duas pessoas foram mortas na ação terrorista, que fez uma emboscada ao ônibus da seleção de Togo: um membro da comissão técnica da seleção de Togo e um assessor de imprensa. A ação ainda feriu gravemente o goleiro Kodjovi Obilale. Depois de passar por várias operações e conseguir sobreviver, ele chegou a ser indenizado em US$ 100 mil pela Fifa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolTogoJean Antuan Pwatyataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.