Cristina Quicler / AFP
Cristina Quicler / AFP

Homem que invadiu jogo da Liga Europa pelado ficou escondido por 14h no estádio

Olmo García, que interrompeu partida entre Granada e Manchester United, é celebridade local na cidade por andar nu

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2021 | 17h37

Nem mesmo a pandemia e a ausência de público nos estádios foi capaz de impedir uma invasão de campo na Liga Europa: Olmo Garcia, empresário de 37 anos, conseguiu entrar em campo nu durante a partida entre Granada e Manchester United. Detalhes da história passaram a ser publicados na imprensa espanhola, e um chamou bastante atenção: Garcia ficou 14h escondido no estádio Nuevo Los Cármenes antes de aparecer.

De acordo com o jornal de Granada Ideal, as câmeras de segurança do estádio registraram Garcia entrando no estádio por volta das sete horas da manhã, no horário local - o jogo foi às 21h. Ele pulou uma cerca perimetral e se escondeu embaixo de uma lona até entrar em campo aos sete minutos do primeiro tempo. Pouco tempo depois, foi retirado pelos seguranças.

Essa não foi a primeira vez que Garcia passou por uma polêmica do tipo. O homem, dono de uma empresa de nutrição esportiva, já foi denunciado 15 vezes por agentes da polícia de Granada. Ele se tornou uma espécie de celebridade local na cidade por ser visto caminhando nu em espaços públicos. Diversas pessoas já compartilharam fotos ao seu lado durante suas andanças.

Segundo Garcia já disse a jornais locais anteriormente, o ato de andar sem roupa é uma forma de 'colaborar com a paz no mundo' e acredita que traz benefícios psicológicos. "É uma forma de reivindicar pureza, paz, mostrar que ao tirar a roupa é mais sincero com tudo que o cerca. Não incomodo ninguém e acho que é bom para a sociedade. Paz no mundo, para mim, é harmonia, boas palavras, um planeta sem envelhecimento, um mundo sem morte", justificou o homem, apaixonado por ambientalismo e sustentabilidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.