Washington Alves/Reuters
Washington Alves/Reuters

Homenagens à Chapecoense marcam última rodada do Brasileirão

Partidas no fechamento da competição se lembram de time catarinense

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2016 | 21h32

As nove partidas da última rodada do Campeonato Brasileiro, neste domingo, tiveram uma série de homenagens aos 71 mortos e seis sobreviventes na tragédia aérea que envolveu o avião que levava a delegação da Chapecoense para o primeiro jogo da decisão da Copa Sul-Americana, na Colômbia.

Os 18 times estamparam nos uniformes o escudo do clube catarinense e um laço preto em luto. Bandeiras do Brasil, da Chapecoense e da Colômbia estiveram em campo e soldados tocaram a marcha fúnebre no minuto de silêncio em cada um dos estádios.

Em Salvador, antes da partida entre Vitória e Palmeiras, balões verdes foram soltos no ar. Além disso o atacante Marinho abriu o placar e, às lágrimas, levantou a camisa do time rubro-negro para exibir uma outra com o escudo da Chapecoense.

Na Vila Belmiro, antes de Santos x Figueirense, o mascote da Chapecoense, uma criança vestida como um indiozinho, entrou junto com os jogadores do Santos. Ricardo Oliveira, ídolo da criança, também aproveitou a comemoração de gol para fazer uma homenagem ao imitar um índio com arco e flecha.

A torcida do Fluminense levou faixas com os nomes de todos os jogadores da Chapecoense e balões verdes. Em campo, o Internacional, adversário do time carioca, teve o goleiro Danilo Fernandes agarrando pênalti e mostrando no pulso o nome de seu xará, Danilo Padilha, goleiro morto no acidente.

Antes de Atlético-PR x Flamengo, a torcida na Arena da Baixada exibiu um mosaico com os dizeres "Somos Chape". Em Campinas, no duelo entre Ponte Preta e Criciúma, crianças entraram em campo vestindo o uniforme da equipe catarinense e levaram bandeiras do clube, da Colômbia e do Brasil.

No Mineirão, o Cruzeiro mandou o seu mascote, o "Raposão", a campo com a camisa da equipe de Chapecó. Já o Corinthians trocou o espaço do seu patrocinador principal para exibir a conta bancária do time catarinense. No Pacaembu, o São Paulo entrou em campo com um uniforme preto, com o escudo da Chapecoense no peito, e o Santa Cruz exibiu o nome dos jogadores mortos nas camisas de seus atletas.

Os nomes dos mortos em Medellín também apareceram nas camisas do Botafogo, que encarou o Grêmio em Porto Alegre. Bruno Silva, ex-Chapecoense, fez o gol da vitória e exibiu uma camiseta verde em homenagem às vítimas. No Recife, o Sport levou a Chapecoense nos uniformes e o Figueirense, clube do mesmo estado da Chapecoense, entrou em campo com uma faixa de solidariedade às vítimas e familiares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.