NIlton Fukuda/ Estadão
NIlton Fukuda/ Estadão

Honra militar e choro marcam velório na Arena Condá

Homenagens e emoção tomaram conta do estádio com a chegada dos corpos

Daniel Batista e Gilberto Amendola, enviados especiais a Chapecó, Impresso

04 de dezembro de 2016 | 09h09

Emoção e lágrimas tomaram conta de Chapecó, ontem. Desde o início da manhã, com a chegada dos corpos dos atletas e dirigentes do clube vítimas de acidente aéreo na Colômbia que matou 71 pessoas, milhares de pessoas foram às ruas e à Arena Condá para prestar a última homenagem.

Debaixo de forte chuva, a despedida teve início no aeroporto da cidade, onde o presidente Michel Temer recebeu os 50 corpos. Depois, o cortejo fúnebre percorreu 9 quilômetros pelas ruas da cidade, até o estádio, onde foi realizado o velório coletivo com a presença de familiares, torcedores e autoridades. Temer também participou da cerimônia na arena.

Tite, técnico da seleção brasileira, cancelou uma viagem que faria à Europa onde iria assistir a cinco jogos, para acompanhar o velório. “Quero poder, na medida do possível, amenizar um pouquinho o sofrimento e encorajá-los”, disse o treinador.

Assim como o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o técnico do Atlético Nacional, Reinaldo Rueda, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, também viajou a Chapecó, acompanhado de diretores da entidade. “Vim prestar homenagem a todos os familiares, corpo técnico e jornalistas. Estamos fazendo o nosso papel. Aquilo que pudermos fazer, faremos”, afirmou.

Ex-jogadores do clube foram ao velório, como Vilson (Corinthians), Douglas Grolli (Ponte Preta), Camilo (Botafogo) e Soares (Madureira). O narrador Cid Moreira também participou da cerimônia.

Ontem, a torcida fez alguns cânticos, mas nada como nos dias anteriores. Muitas vezes, o silêncio imperava e só era cortado pelos aplausos e choros.

Uma cena marcante no fim da cerimônia foi quando a mãe e a mulher do goleiro Danilo, Ilaíde e Letícia, respectivamente, com a foto dele nas mãos, se dirigiram ao gol em que ele fez a defesa contra o San Lorenzo, que classificou o time para a decisão da Sul-Americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.