Boris Streubel/Getty Images for Laureus
Boris Streubel/Getty Images for Laureus

Hope Solo pede reformas no futebol dos EUA e é contra Copa no país em 2026

Ex-jogadora diz que a estrutura do esporte no país precisa passar por mudanças

Estadao Conteudo

07 Junho 2018 | 15h02

O ex-jogadora Hope Solo faz campanha contra a indicação dos Estados Unidos como sede da Copa do Mundo de 2026. De acordo com a bicampeã olímpica pela seleção norte-americana, a estrutura do futebol do país precisa ser reformada e os privilégios das franquias da MLS precisam acabar.

+ Leia mais sobre a Copa do Mundo

+ Hope Solo pede luta contra o machismo no esporte

"Eu quero ver rebaixamento e promoção na NASL e na MLS", propõe a ex-goleira, citando as duas maiores ligas de futebol dos EUA. "Da forma como é agora, grupos ricos são donos dos times da MLS e eles apenas ficam mais ricos assim, deixando de lado todo o resto. Não está ajudando o esporte no país", argumentou.

"Um novo dono não deveria poder chegar e comprar uma franquia, mesmo que tenham dinheiro, seguridade financeira e compromisso. Tudo é controlado por poucos indivíduos da Soccer United Marketing (SUM) e pelo comissário da MLS, Don Garber", disse Hope.

Os Estados Unidos tentam receber a Copa do Mundo de 2026 em uma parceria com Canadá e México. A candidatura tripla concorre apenas com Marrocos. O anúncio da sede será feito no próximo dia 13, em Moscou, durante congresso da Fifa.

Presidente e vice-comissário da MLS, Mar Abbott, discorda da ex-atleta. "Nossa estrutura atual permite aos donos terem alguma certeza nesse tipo de investimento. Se tivéssemos rebaixamento e promoção, não conseguiríamos gerar esse nível de aporte por donos, comunidades locais e bancos privados, que ajudam a gerar algumas facilidades", afirmou.

Hope, porém, afirma que a organização que rege o futebol dos EUA atua de forma ilegal. "Se você é um esporte olímpico, sua entidade tem a obrigação de distribuir o dinheiro arrecadado para todos os membros, seja profissional, amador, paralímpico, feminino ou qualquer que seja. Mas o que U.S. Soccer faz é dar diretamente o dinheiro para as franquias. É uma violação ao 'Ted Stevens Act', por isso terei um encontro no Comitê Olímpico dos EUA em algumas semanas e também já me reuni com deputados federais", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.