Horcades critica a CBF por Jundiaí

Médico do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, o presidente do Fluminense, Roberto Horcades, criticou nesta sexta-feira a entidade máxima do futebol brasileiro por ter autorizado o Paulista a realizar a primeiro partida da final da Copa do Brasil, em Jundiaí (SP)."A CBF assegurou que o estádio tinha condições de jogo, mas não concordo. Nada contra a torcida do Paulista, que nos recebeu bem, mas só havia uma entrada para a torcida do Fluminense", declarou Horcades, para em seguida afirmar que a equipe do interior de São Paulo começou a ganhar o duelo fora de campo. "Ficaram o dia todo molhando o campo, coisa do interior."Em um determinado momento, o presidente tricolor chegou a desdenhar da capacidade do Paulista. Ao ser indagado se o Fluminense teria condições de reverter a vantagem do adversário, Horcades lembrou que, além do poder de superação da equipe carioca, o Paulista não está demonstrando um bom futebol na Série B do Brasileiro."É o último colocado", disse o dirigente, que amenizou as críticas proferidas contra o presidente do Paulista, Eduardo Palhares, pelo mau tratamento recebido pela delegação tricolor antes e durante o jogo de quarta-feira. "Ele me pediu desculpas pelas más condições e eu peço desculpas pelo choro de perdedor."A relação entre as duas diretorias, no entanto, pode voltar a ficar conturbada depois que o presidente do Fluminense afirmou que o meia Márcio Mossoró, do Paulista, tem grandes chances de se transferir para o clube das Laranjeiras, após a final. "Falo isso há uns três meses."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.