Eduardo Muñoz|Reuters
Eduardo Muñoz|Reuters

Hospital Albert Einstein rebate Pelé e nega erro médico em cirurgia

Em nota, hospital afirma que 'não encontrou evidências de falha'

O Estado de S. Paulo

07 de abril de 2016 | 11h52

Por meio de sua assessoria, o hospital Albert Einstein rebateu a alegação de Pelé de que foi vítima de erro médico e afirmou, em nota, que não houve problema no procedimento cirúrgico realizado no ex-jogador em 2012. Na ocasião, Pelé retirou o fêmur e no lugar foi implantada uma prótese de quadril.

O esclarecimento do hospital foi assinado pelo diretor superintendente do Einstein, doutor Miguel Cendorogolo Neto. Nele, o responsável informa que "avaliou as circunstâncias do atendimento e do procedimento realizado em novembro de 2012 por médico indicado pela família do próprio paciente e não encontrou nenhuma evidência de erro na conduta do profissional, julgando-a adequada, dado o histórico, idade e queixa do paciente".

Em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta quinta-feira, Pelé diz que teve de passar por nova operação em dezembro do ano passado, nos Estados Unidos, para corrigir o erro na implantação de uma prótese entre o fêmur e a bacia. "Segundo os médicos que me analisaram, teve um erro na técnica dos médicos brasileiros. Eu tinha um problema na resistência e a dor não passava de jeito nenhum", contou o Rei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.