Hospital diz que os mortos já são 102

Depois de vários números desencontrados, começaram a ser divulgados, por volta das 21 horas, os primeiros dados oficiais da tragédia que pode se tornar a maior da história do futebol. Segundo o diretor do Hospital Militar de Accra (capital de Gana), general Dan Twum, a sua unidade recebeu 102 mortos e mais 53 feridos do tumulto ocorrido nesta quarta-feira, durante um jogo entre as equipes do Hearst of Oak e Kumasi Ashanti, pelo campeonato nacional. As notícias da imprensa local calculam que o número de mortos pode chegar a 120.Segundo as contas de uma emissora de rádio privada do país, a ?Joy FM?, além dos 102 mortos que chegaram ao Hospital Militar, ainda há 5 corpos numa delegacia de polícia da cidade e outros 13 que foram levados para o Hospital Público Ridge.A confusão começou no final da partida entre os dois principais times do país. Como o Hearst of Oak vencia por 2 a 1, os torcedores do Kumasi tentaram provocar a torcida adversária e também jogaram os assentos das cadeiras no campo. A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo para conter o tumulto e também fechou as portas do estádio, o que acabou aumentando a proporção da tragédia, com várias pessoas sendo pisoteadas.O presidente de Gana, John Kufuor, ainda não deu nenhuma declaração sobre a tragédia. A porta voz do governo, Elisabeth Ohene, revelou apenas que foi convocada uma reunião extraordinária com os ministros, nesta quinta-feira, para discutir o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.