Ian Langsdon/EFE
Ian Langsdon/EFE

Hospitalizado em São Paulo, Pelé é condecorado com a máxima honraria da Conmebol

Entidade anúncio que o prêmio será entregue ao Rei do Futebol após ele deixar o hospital

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2019 | 16h21

Internado desde a última terça-feira no hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde ingressou para realização de exames e para a retirada de um cálculo renal, Pelé foi condecorado pela Conmebol nesta quarta com a máxima honraria concedida pela entidade. No marco do Congresso Ordinário que realiza na cidade do Rio, a entidade anunciou que vai entregar ao ex-jogador de 78 anos a Ordem de Honra do Futebol Sul-Americano.

Ao justificar a distinção garantida ao Rei do Futebol, que receberá a mesma após ganhar alta dos médicos e deixar o hospital, a Conmebol ressaltou, em seu site oficial, que este foi "um sinal de reconhecimento do excelente trabalho em seus anos de jogador, sendo um exemplo de vontade e dedicação por representar um modelo genuíno para as gerações futuras, demonstrando que através do esporte, e especialmente do futebol, você pode criar um cidadão".

Ao comentar sobre a honraria concedida a Pelé, o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, disse "crer que não há um gesto mais justo do que este para reconhecer aqueles que fizeram o futebol sul-americano o melhor do mundo".

"Tendo o Rei do Futebol como parte de nossa grande grandeza, este é um ato de justiça, pois a Conmebol nunca havia reconhecido a Pelé como o melhor jogador do mundo. Assim como não reconheceu a muitos outros (por outros feitos), mas temos que começar (a fazer esse tipo de homenagem aos grandes jogadores do continente). Hoje ele (Pelé) não está conosco, mas estamos com ele de coração. É um dia especial para estar com ele para reconhecer que, na América do Sul, nascem, vivem e jogam os melhores jogadores do mundo. Desejo rápida recuperação ao Rei", afirmou o dirigente.

Também presente ao congresso da Conmebol no Rio, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, elogiou a iniciativa de condecorar o astro brasileiro. "Justiça foi feita, eles (grandes jogadores) fazem muito para que nós sejamos apaixonados pelo futebol, e temos de reconhecê-los. Felicidades a Pelé, da minha parte e da Fifa", destacou.

Após ficar cinco dias internado em Paris, o Rei do Futebol desembarcou feliz na terça-feira no Brasil, dizendo estar bem após se recuperar de um quadro de infecção urinária. Ele ingressou em um hospital da capital francesa um dia depois de participar de um evento no qual se encontrou com Mbappé, jogador da seleção francesa e do Paris Saint-Germain, no último dia 2. Após ser submetido a exames, foi diagnosticada a infecção urinária.

Pelé foi internado no American Hospital Paris no dia seguinte e, depois de melhorar de forma gradativa, passou por uma nova avaliação no sábado, que mostrou que o problema de saúde estava controlado e a infecção praticamente extinta. Apesar disso, ele continuou em observação, pois o caso inspirava mais cuidados do que o habitual.

O astro possui apenas um rim, foi tratado com antibióticos e seu organismo respondeu bem aos medicamentos. Por causa do problema de saúde, Pelé precisou cancelar sua ida a um evento em que seria homenageado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, no último domingo, onde o técnico da seleção brasileira, Tite, deu uma palestra. E a sua ida para o hospital Albert Einstein, em São Paulo, ocorreu pouco depois de sua chegada ao Brasil.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.