Hristo Stoichkov deixa o comando do Celta de Vigo

Ex-jogador do Barcelona diz que sua família foi a causa de sua saída do clube espanhol

08 de outubro de 2007 | 18h57

O ex-jogador búlgaro, Hristo Stoichkov,  deixou nesta segunda-feira o cargo de treinador do Celta de Vigo, da segunda divisão espanhola, alegando "motivos pessoais" para justificar sua decisão.  "É muito difícil ficar aqui quando minha família não está comigo. Estava esperando apenas um bom resultado [o clube venceu o Xerez por 3 a 1 no domingo] para tomar esta decisão", afirmou o ex-jogador, que assumiu o cargo no dia 10 de abril. Stoichkov voltou a dizer que não tem nem teve problema algum com Carlos Mouriño, presidente do clube ou com seu diretor esportivo, Ramón Martínez. Ele garante que deixa o Celta com a consciência tranqüila, apesar de a imprensa ter falado muitas coisas: "Eu só faltei uma vez a um treino, e com permissão do clube. Ninguém pode acusar assim uma pessoa que fica oito ou nove horas trabalhando no gramado e no escritório", disse o búlgaro, que teve suas palavras confirmadas pelo presidente. "É um dia triste, porque tenho que me despedir de uma pessoa excelente e um grande amigo. Stoichkov nos comunicou que deixa o clube por motivos pessoais e nos deu um prazo para buscar um treinador", afirmou Mouriño. Tudo indica que o cargo será ocupado por Juan López Caro, que comandou o Real Madrid, mas o dirigente disse que o nome só será anunciado oficialmente amanhã. O Celta é o atual 11.º colocado da segunda divisão espanhola, com dez pontos - a 11 do líder Málaga.

Tudo o que sabemos sobre:
Campeonato Espanhol 2.ª Divisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.