Hugo comemora boa fase na equipe do São Paulo

Muricy Ramalho encontra novo lugar para o jogador, que passa a exercer a função que Danilo ocupou até 2006

Marcius Azevedo, Jornal da Tarde

22 de julho de 2008 | 18h55

Demorou, mas finalmente o técnico Muricy Ramalho arrumou o lugar certo para Hugo no time do São Paulo. Ele está exercendo função que Danilo ocupou até o fim de 2006, quando se transferiu para o Kashima Antlers, do Japão. O ex-camisa 10 não aparecia muito para os torcedores, era até criticado por alguns, mas, taticamente, sempre foi importante. Tanto que o São Paulo sentiu demais sua saída e precisou encontrar outra maneira de jogar. Agora não precisa mais. "Ele me pediu para fazer esta função. Estou me adaptando porque estava acostumado a jogar do meio para frente. Agora preciso voltar mais, ajudar na marcação, fechar os espaços", afirmou Hugo. O jogador admite que a mudança não é fácil. O desgaste tem sido maior nas partidas e, além disso, nem sempre é possível estar próximo da área. "Sei que posso ficar um pouco escondido da torcida. Mas sei da minha importância para o time." O lado esquerdo é o setor que Muricy aposta para desequilibrar os jogos no Brasileiro. Também jogam por ali Jorge Wagner e Richarlyson, e os três, segundo explica Hugo, não têm posição fixa. "Às vezes, eu fecho como lateral e o Jorge cai na meia. E ainda tem o Richarlyson para revezar na função." Mesmo com o bom momento, o meia não se ilude. "Aqui você tem de se empenhar nos treinamentos, e quando entrar nas partidas, saber que sempre tem uma sombra entre os que são reservas. Não pode facilitar porque se bobear o Muricy coloca outro." A partida desta quarta-feira, contra o Internacional, será especial para Hugo porque marca sua volta ao Rio Grande do Sul, onde viveu um ótimo momento pelo Grêmio em 2006 - também defendeu o Juventude em duas oportunidades. Foi lá também que ele conheceu sua esposa. "Sempre é bom jogar lá." Hugo, no entanto, não tem boas lembranças dos confrontos contra o Colorado quando estava jogando por lá. "Nunca ganhei." Ao todo, foram seis partidas, com cinco empates e uma derrota. "Mas fiz um gol em 2003 pelo Juventude. Foi em um empate por 3 a 3 em Caxias do Sul", referindo-se a jogo válido pelo Campeonato Gaúcho.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCHugo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.