Hugo é suspenso por 120 dias pelo STJD e desfalca o São Paulo

Punido por cuspir no volante Goiano, do Paraná, meia não joga mais com a camisa do São Paulo em 2007

Bruno Louzada, Estadão

14 de setembro de 2007 | 17h26

Suspenso por 120 dias, o meia Hugo, do São Paulo, garantiu que nunca mais cuspirá em um adversário e, emocionado, contou que não conseguiu dormir nos últimos dias por conta do julgamento desta sexta-feira, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio. Sua defesa exibiu um vídeo no plenário no qual o atleta chora copiosamente e admite estar arrependido de sua "atitude impensada", no jogo com o Paraná, no Morumbi, em 1.º de setembro, pelo Campeonato Brasileiro.Nada disso, no entanto, comoveu a 4ª Comissão Disciplinar do STJD. Por unanimidade (4 votos a 0), Hugo recebeu a punição. Além dos quatro meses fora de atividade regular, ele terá de cumprir mais duas partidas de suspensão em razão de dois incidentes cometidos durante a partida contra o Paraná.Na ocasião, mesmo com a sua equipe goleando por 6 a 0, Hugo "perdeu a cabeça" com dois jogadores do Paraná: cuspiu no volante Goiano e, em tom de provocação, menosprezou o zagueiro Daniel Marques. Acabou expulso de campo. E o que é pior: caso a punição seja mantida pelo Pleno do STJD (última instância), ele estará fora da disputa do Campeonato Brasileiro.O advogado do São Paulo, Roberto Armelin, já avisou que vai recorrer da decisão, pois achou a pena exagerada. "Tenho certeza que o São Paulo será campeão brasileiro, e o que mais dói é saber que não participarei desses últimos jogos. Mas estarei presente na festa de comemoração do título", declarou Hugo, após o julgamento.Abatido, Hugo considerou a punição pesada, mas disse que respeita a decisão do STJD. "A partir de agora, qualquer jogador tem de contar até dez antes de tomar uma atitude, pois o tribunal está penalizando mesmo", afirmou o jogador.Hugo foi enquadrado nos artigos 253 (praticar agressão física contra qualquer participante do evento) e 258 (assumir atitude contrária à disciplina ou à moral desportiva) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Poderia ter sido punido em até 540 dias de suspensão no primeiro caso e em até dez jogos no segundo.Na denúncia, a Procuradoria do STJD relatou que na súmula do árbitro Elmo Resende consta a ofensa de Hugo a Daniel Marques com os seguintes termos: "Porra, seu merdinha, joga a sua bolinha, fraquinho. Já está tomando de seis e quer mais?". O meia do São Paulo confirmou que provocou o jogador do Paraná, mas assegurou que não usou exatamente essas palavras.Também pesou contra o atleta sua reincidência no tribunal. Em menos de um ano, esta é a quarta vez que Hugo foi condenado pela justiça desportiva. "O senhor deve estar com algum problema emocional", disse o auditor do STJD, Marcelo Tavares, para Hugo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.