Pedro Souza/ Atlético
Pedro Souza/ Atlético

Atlético-MG bate Fluminense com dois gols de Hulk e fica mais perto do título do Brasileirão

Conquista pode ser sacramentada já na próxima terça-feira em caso de tropeço do Flamengo no duelo com o Ceará

Kim Belluco, especial para o Estadão

28 de novembro de 2021 | 18h27

Com dois gols de Hulk, o Atlético Mineiro derrotou de virada o Fluminense por 2 a 1 na tarde deste domingo, no estádio do Mineirão, com a presença de quase 60 mil torcedores, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória deixa o time alvinegro muito próximo do título nacional, que poderá ser conquistado já na próxima quinta-feira, diante do Bahia.

O Atlético disparou ainda mais na liderança, com 78 pontos, contra 67 do Flamengo, na segunda colocação, a uma vitória do título brasileiro. O Fluminense, por sua vez, ficou com 51 pontos, podendo sair da zona de classificação para a Copa Libertadores.

De quebra, o time mineiro aumentou um tabu sobre o Fluminense. O Atlético não perde para o rival jogando em casa desde 2017, quando foi derrotado por 2 a 1, no Brasileirão daquele ano. Como mandante ainda, o time alvinegro chegou a 15 vitórias seguidas na competição, novo recorde.

A arbitragem voltou a ser protagonista de forma negativa em um jogo pelo Campeonato Brasileiro. Marielson Alves Silva, após consultar o VAR, assinalou um pênalti polêmico a favor do Atlético. De costas para o lance, o lateral Marlon sentiu a bola batendo no seu braço. Hulk foi para a cobrança e empatou o duelo, aos 37 minutos, alcançando a marca de 16 gols na competição.

O pênalti acabou salvando a atuação do Atlético no primeiro tempo. O time mineiro começou o jogo sendo surpreendido com um gol do zagueiro Manoel, principal surpresa na escalação montada pelo técnico Marcão, com a lesão de Nino. O defensor recebeu cruzamento do próprio Marlon para de cabeça inaugurar o marcador.

O jogo foi ficando nervoso. Com o Atlético perto do título, e o Fluminense de olho em uma vaga na próxima edição da Libertadores, ninguém quis tirar o pé. O time mineiro, no entanto, resolveu acelerar nos minutos finais, e perdeu oportunidades boas com Keno e Jair. Diego Costa, que chegou a ser dúvida no meio de semana, foi bem marcado e não conseguiu criar oportunidades de gol durante os primeiros 45 minutos.

O segundo tempo começou com um copo sendo arremessado para dentro de campo por um torcedor atleticano. Marielson pegou o objetivo e o tirou do gramado. Certamente, ele irá registrar em súmula. Voltando para o futebol, o Atlético voltou mais ligado e fez o segundo em uma cobrança de falta de Hulk, aos 14 minutos. O atacante contou com um desvio na barreira para fazer seu 17º gol no Brasileirão.

Em vantagem, o técnico Cuca começou a rodar o elenco, sem deixar de abdicar de atacar. O Atlético continuou em cima, sem dar espaço para o Fluminense. Marcão tentou jogar o time para o ataque, mas viu o rival "cozinhar" o jogo para confirmar mais uma vitória no Brasileirão, e ficar ainda mais perto do tão esperado título.

Após o apito final, a torcida soltou novamente o grito de "é campeão". Com 50 anos entalado na carga, os quase 60 mil torcedores fizeram a festa no estádio do Mineirão, com a expectativa de levantar a tão sonhada taça.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 2 x 1 FLUMINENSE

ATLÉTICO-MG - Everson; Mariano, Nathan Silva, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Tchê Tchê), Jair, Zaracho e Keno (Nacho Fernández); Hulk (Eduardo Sasha) e Diego Costa (Vargas). Técnico: Cuca.

FLUMINENSE - Marcos Felipe; Samuel Xavier, Manoel, David Braz e Marlon; Wellington (Alexandre Jesus) e André (Cazares); Luiz Henrique (Matheus Martins), Yago Felipe e Caio Paulista (Arias); Fred (Bobadilla). Técnico: Marcão.

GOLS - Manoel, aos 13, e Hulk, aos 37 minutos do primeiro tempo. Hulk, aos 14 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Allan, Diego Costa, Jair, Junior Alonso, Keno e Nathan Silva (Atlético-MG); David Braz, Matheus Martins e Samuel Xavier (Fluminense).

ÁRBITRO - Marielson Alves Silva (BA).

RENDA - R$ 7.145.226,00.

PÚBLICO - 59.896 pagantes.

LOCAL - Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.