AP Photo/LynneCameron/PA
AP Photo/LynneCameron/PA

Hull City deve se esforçar mais para evitar crise, diz técnico

Equipe foi derrotada por 3 a 0 pelo Newcastle United e ficou em posição preocupante no Campeonato Inglês

ESTADÃO CONTEÚDO

31 de janeiro de 2015 | 15h15

O treinador do Hull City, Steve Bruce, alertou seus jogadores para se esforçarem mais, caso queiram evitar o rebaixamento no Campeonato Inglês, depois da derrota por 3 x 0 para Newcastle United neste sábado.

Bruce havia enfatizado a importância de vencer jogos em casa, no KC Stadium, antes da visita do Newcastle, que não vencia uma partida fora desde novembro.

Em vez de se impor na ocasião, o Hull teve uma fraca atuação e terminou com a sua quarta derrota consecutiva, com Remy Cabella, Sammy Ameobi e Yoan Gouffran marcando para o visitante.

" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

A derrota em casa, que deixou o time de Bruce sem marcar um gol desde a vitória por 2 x 0 sobre o Everton no dia 1º, foi motivo de preocupação para o já pressionado técnico. 

 

"Contra qualquer time do Campeonato Inglês, quando se joga em casa, você precisa ver mais resistência, um pouco mais de luta e um pouco mais de determinação, para garantir que não será uma tarde vergonhosa, como esta acabou se transformando", declarou Bruce ao BT Sport. 

 

A derrota deixou o Hull na zona de rebaixamento, no 18º lugar, com um ponto a menos da posição segura. 

 

Bruce confirmou que o clube chegou a um acordo pelo atacante Dame N’Doye, do Lokomotiv Moscow, e está em negociação pelo ala Aaron Lennon, do Tottenham Hotspur. O senegalês N’Doye marcou 27 gols em 66 jogos pelo time russo. 

 

Perguntado se reforços no ataque ajudarão a encerrar a fase ruim do Hull, Bruce disse que os atuais são os que devem assumir a responsabilidade por mudar a sorte do time na competição. 

 

"É a primeira vez em dois anos e meio que estes jogadores estão comigo que estamos, eu não diria crise, mas com problemas", afirmou Bruce, que levou o Hull à final da Copa da Inglaterra no ano passado. 

 

"Precisamos arregaçar as mangas e mostrar do que somos feitos, e dar mais do que demos hoje. Se fizermos isso, ficaremos bem, se não, estaremos com um grande problema."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.