'Humilde' Cribari quer oportunidades no Cruzeiro

O técnico Émerson Ávila não poderá contar com o zagueiro Léo, suspenso, para o clássico do próximo domingo, na Arena do Jacaré, contra o América-MG. O treinador tem duas opções para a zaga: o uruguaio Victorino, em fase final de recuperação, e Cribari, que foi contratado recentemente junto ao Napoli.

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2011 | 20h23

"Já tem dois meses que estou aqui treinando, estou com vontade de ajudar, sei que posso ajudar o time do Cruzeiro. Tenho a experiência necessária para ajudar o clube, já passei por muitas coisas no futebol. Essa pressão que estou sentindo aqui, para mim, é normal, visto os lugares que passei. Estou com vontade de ajudar, estou pronto e espero ter a oportunidade", disse Cribari, que atuou no futebol italiano nos últimos 13 anos.

Cribari garante que treina forte até nos finais de semana e acha que só não tem atuado por ser desconhecido dos brasileiros. "O que está pesando mais é o fato de ser um jogador desconhecido, por nunca ter atuado no futebol brasileiro. Sou humilde demais para falar por onde eu passei, os times em que joguei e os estádios em que pisei. Acho que já deviam saber disso", disse o defensor, que defendeu Empoli, Udinese, Lazio, Siena e Napoli na Itália. Na carreira, ele jogou seis jogos de Liga dos Campeões e 13 pela Liga da Europa.

Naldo deixa para o treinador a escolha sobre quem será seu companheiro de zaga. "Tomara que tenha a volta do Victorino para nos ajudar. Tem também o Cribari. O Leo, infelizmente, está suspenso. Mas temos que esperar os treinamentos no decorrer da semana e, quem estiver melhor deve jogar. Isso aí é o Ávila quem vai decidir", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroCampeonato Brasileiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.